sexta-feira, 14 de agosto de 2020

Medidas restritivas são prorrogadas por mais sete dias na região

 Medidas restritivas são prorrogadas por mais sete dias na região



Os prefeitos dos municípios que compõem a AMMOC (Associação dos Municípios do Meio Oeste Catarinense) e AMPLASC (Associação dos Municípios do Planalto Sul de Santa Catarina) decidiram prorrogar por mais sete dias as restrições para tentar evitar a contaminação do coronavírus (Covid-19).

O transporte coletivo permanece suspenso. Os Bares ficam obrigados a fechar o estabelecimento até às 18 horas de segunda a sexta-feira, já nos finais de semana e feriados devem ficar fechados. O horário de funcionamento de restaurantes será até às 23 horas, independente do dia de semana. Proibido o consumo de bebidas e a permanência em Lojas de conveniências a partir das 18 horas.

A decisão ocorre após reunião do Centro de Operações de Emergência em Saúde da Região do Meio Oeste (COES MO-COVID 19), que apontou que a região permanece na classificação de risco gravíssimo na plataforma digital de acompanhamento do Estado.

Diante do cenário de evolução da pandemia, o COES fez os seguintes apontamentos:


Todo apanhado de legislações e recomendações dos órgãos Estatais em nível Estadual e Federal;


A matriz de risco sanitário de 11 de agosto, cujo a metodologia proposta pelo COES/SC que apontam informações e classificam a região do meio Oeste de Santa Catarina como “de risco gravíssimo”, exigindo medidas restritivas relacionadas ao isolamento social;


As dimensões isolamento social, ampliação de leitos e de UTI, investigação, testagem e isolamento de casos, atingiram o nível 4 (máximo) na região Meio Oeste, conforme indicadores da ferramenta Matriz de Avaliação do Risco Potencial Regional, exige a tomada de medidas urgentes;


Toda a fundamentação apresentada quanto aos dados estatísticos expostos na plataforma digital de acompanhamento do Estado analisados conjuntamente por este COES regional, dados levantados pela equipe de epidemiologia que refletem a situação atual da pandemia região, os estudos científicos apresentados, a iminência de um colapso na rede de leitos de UTI e as recomendações emanadas pelo alerta do COES estadual;


A região Meio Oeste apresenta nível máximo 4 na dimensão “Investigação, testagem e isolamento de casos” da matriz de risco da Secretaria de Estado da Saúde, e aponta a testagem, a busca ativa de casos suspeitos e o rastreamento de contatos como providências a serem tomadas pela região de saúde para diminuição do indicador.

O COES REGIONAL MEIO OESTE RECOMENDA:


O estabelecimento de parcerias entre os municípios da região Meio Oeste e os Sindicatos representativos de categorias profissionais e econômicas de todos os setores e Associações Comerciais a fim de que sejam transmitidas informações e orientações a respeito de testagem de trabalhadores e afastamento preventivo de casos sintomáticos, visando a proteção do trabalhador em geral;


Propor a elaboração de documento orientativo padronizado pela CIR acerca de informações educativas, conduta, protocolo, sanitização, isolamento, testagem, a ser adotado como modelo pelos municípios, podendo ser adaptado a realidade de cada ente.


Estabelecer canais de comunicação de fácil acesso destinados à transmissão de informações à população relacionadas à cuidados, prevenção, dados estatísticos e ações de enfrentamento ao COVID-19, preferencialmente emitidas por autoridades em saúde e em formato de áudio ou vídeo, a fim de que sejam levadas informações a conhecimento público;


Fomentar a elaboração de Nota Técnica na CIR para a padronização de realização de testes rápidos, visando a ampliação de testagem na região.


Fonte: Caco da Rosa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário