quinta-feira, 19 de março de 2020

IFC Campus Luzerna produz álcool em gel 70%

Diante da necessidade do uso de álcool em gel 70% como prevenção ao coronavírus Covid-19 e da escassez do produto nos estabelecimentos em Luzerna, no Vale do Contestado, em Santa Catarina, os servidores do Instituto Federal Catarinense (IFC) - Campus Luzerna tomaram a iniciativa de produzir o álcool em gel no laboratório da instituição. 

Eduardo Butzen, diretor-geral do IFC Luzerna, explica que inicialmente a produção era para atender a própria instituição com a oferta do álcool em gel em todos setores do campus.

“Assim que recebemos a orientação para disponibilizar o álcool em gel 70% na instituição, procuramos pelo produto na cidade, mas não encontramos a quantidade necessária. Por isso, resolvemos comprar uma quantidade de álcool (96º) líquido, com recursos do campus, e fazer a manipulação no nosso laboratório, com a utilização de reagentes que já possuíamos. Porém, com a suspensão das nossas atividades acadêmicas e administrativas, a produção será destinada para os servidores que tiverem interesse em trocar um litro de álcool comum por um litro de álcool em gel 70%. Com a arrecadação de mais álcool comum, pretendemos continuar a produção e distribuir para estudantes, para Prefeitura Municipal ou hospitais, se for possível uma parceria, mediante autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa”, declara Butzen. 

Responsável pela manipulação dos reagentes e professor de Química no IFC Luzerna, Rômulo Couto Alves conta que em 2017 foi iniciada uma prática experimental voltada para a produção de álcool em gel no Instituto durante as aulas da disciplina Química Tecnológica Experimental, ofertada no curso de Automação Industrial e de Mecânica, nas modalidades de graduação e integrado ao ensino médio. “Objetivo era transformar a disciplina cada vez mais tecnológica, mostrar na prática e não apenas na teoria. Incorporar a fabricação do álcool em gel foi possível também pelo apoio da técnica de laboratório Karine Schuck, que teve experiência anterior na produção em uma farmácia de manipulação”, revela.

Devido à iniciativa de fabricar o produto para auxiliar a população nas ações preventivas de combate ao Covid-19, o professor está aprimorando a técnica. “Nosso laboratório não é equipado para produção em grande escala. Assim, o tempo de produção é relativo, pois depende da diluição do álcool, dos equipamentos e produtos utilizados, entre outras variáveis. Mas, com os recursos e equipamentos disponíveis, acreditamos que poderemos chegar a uma produção média de 40 litros ao dia, sendo esta uma quantidade possível de produção e armazenamento com segurança no campus”, conta o professor.

Segurança no processo é uma preocupação da instituição. “Todo o processo é feito com cuidado em um ambiente preparado, com os equipamentos próprios para confirmar a diluição em 70%, que garante a eficácia bactericida necessária. Portanto, a manipulação destes produtos não deve ser feita em casa por quem não tem conhecimento sobre o processo químico”, alerta o diretor-geral do IFC Luzerna.



Fonte:Texto: Cecom/Reitoria/Rosiane Magalhães Fotos: divulgação do projeto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário