terça-feira, 17 de março de 2020

HUST está preparado e orienta sobre atendimentos relacionados ao Coronavírus

A situação, diante dos aumentos de casos de Coronavírus no Brasil é de alerta. Diante disso, o Hospital Universitário Santa Terezinha (HUST), por meio do Diretor Geral, professor Alciomar Marin e do Diretor Técnico Roger Polo, informa que está preparado para atendimentos e faz algumas orientações importantes.

A principal orientação é para que a população coloque em prática as medidas de prevenção como lavar as mãos, usar de álcool gel, manter ambientes ventilados e evitar aglomerações. No caso de pessoas que viajaram para o exterior ou para áreas que já registraram casos e estão com sintomas, orienta-se, em Joaçaba, entrar em contato com a secretaria de saúde por meio dos telefones (49) 3521 – 1555 ou no (49) 99809-1733.

— Pedimos que as pessoas sigam essa recomendação visando a qualidade no atendimento. Se 100 pessoas com sintomas de gripe comum procurarem ao mesmo tempo o Hospital podemos não conseguir atender com a mesma eficácia, até porque o tratamento é feito de acordo com a avaliação médica de cada caso. É a partir disso que se define se é necessário internamento ou não. Para aqueles que for recomendado se tratar em casa, é muito importante que os familiares respeitem o isolamento do paciente incluindo a separação de objetos como talheres, copos, toalhas de banho — explicou o Médico Diretor técnico do Hospital, doutor Roger Polo.

Em relação a outros cuidados, o Hospital orienta que os acompanhantes de pacientes não tenham mais de 60 anos, já que fazem parte do grupo de risco. Já as visitas foram restringidas. No caso da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), por exemplo, fica permitida apenas uma visita por dia no horário das 11h30 e pelo tempo de apenas 10 minutos.

— A situação é de cautela, mas é muito importante que não haja pânico. Estamos preparados com locais para isolamento e o fluxo interno já alinhado. Nossos profissionais já passaram por treinamentos específicos e têm adotado as normas preconizadas pelo Ministério da Saúde (MS) se todos colaborarem evitaremos que a situação não saia de controle — explicou Alciomar.

Fonte:Alessandra de Barros/Ascom Unoesc

Nenhum comentário:

Postar um comentário