terça-feira, 31 de março de 2020

Com 235 casos confirmados de coronavírus em SC, Estado volta a discutir retomada das atividades

Subiu para 235 o número de casos positivados de coronavírus em Santa Catarina, atualizou o governo do Estado na tarde desta terça-feira (31). Desses, 22 estão internados em Unidade de Tratamento Intensivo (UT). Também são duas mortes confirmadas pela doença em 20 dias, desde que o primeiro diagnóstico alertou sobre a presença do Covid-19 em território catarinense. O primeiro óbito foi de um homem de 86 anos, de Porto Belo e outro de 68 anos, de Joinville.

Em relação aos suspeitos da doença o número não é mais divulgado, segundo o Estado, porque a conta deixou de ser feita desde a transmissão comunitária foi identificada em todas as regiões de SC. São 118 homens infectados pela doença e 117 mulheres, divulgou o governador Carlos Moisés da Silva (PSL):

- É um aumento de 7%, uma curva boa, não é ruim. Tivemos dois óbitos, 0,8% do total de casos 

Faixa etária dos pacientes confirmados com coronavírus em SC
Dos 235 diagnosticados, 25% têm entre 30 e 39 anos

Retorno das atividades

Sobre a retomada das atividades, Moisés disse que montou um grupo de estudos, nesta terça-feira a fim de achar respostas para três perguntas: o que volta a funcionar, quando volta e como. 

- Os casos vão aumentar de qualquer forma, é algo certo. Nossa população vai ter contato. O que tentamos reduzir é a velocidade que os casos acontecem. Mas não conseguimos por tanto tempo manter população isolada e imune. Por outro lado, temos de pensar que as pessoas precisam retomar atividade de forma segura. Esta medida é estudada - disse. 

Esse mesmo grupo elaborou o plano de retomada das agências bancárias e lotéricas. A partir desta terça-feira um representante da Federação Catarinense de Municípios (Fecam) e outro de entidades empresariais foram inseridos ao debate sobre os próximos passos da abertura econômica em meio à pandemia da Covid-19. 

Cidades com casos de coronavírus em SC
















Fonte:NSC

Governo do Estado volta a discutir plano de convívio para retomada de atividades

Logo após a edição do decreto 535/2020, que prorroga o isolamento social em Santa Catarina por mais sete dias, o Governo do Estado voltou a reunir o grupo de trabalho para discutir o plano de convívio, que inclui atividades econômicas. A novidade foi a adição de representantes da Federação Catarinense de Municípios (Fecam) e de entidades empresariais no debate sobre os próximos passos da futura abertura econômica em meio à pandemia da Covid-19. A reunião desta terça-feira,31, foi conduzida pelo chefe da Casa Civil, Douglas Borba, que anunciou que o grupo passará a se reunir todos os dias, às 14h, sob o comando do secretário da Fazenda, Paulo Eli.

Segundo Borba, embora as medidas de restrição sigam vigentes em todo o território catarinense, é preciso preparar desde já a reabertura do Estado. Três questões são essenciais nesse ponto: o que será aberto? Quando isso acontecerá? E como, com quais medidas de segurança?

“Queremos ouvir todos os agentes envolvidos neste momento difícil para Santa Catarina. A colaboração na construção de soluções é fundamental. Por isso, juntamos nesse grupo de trabalho as principais entidades do setor produtivo, um representante da Alesc e a Fecam, representada pela prefeita Adeliana Dal Pont, de São José. Precisamos buscar um equilíbrio entre saúde da população e a economia, para que possamos nos recuperar o mais rapidamente possível dessa crise”, afirmou Borba.

Foi apresentado ao grupo de trabalho um relatório que demonstra que todos os estados da Federação adotaram as medidas de isolamento social, como uma forma de se preparar para enfrentamento ao coronavírus. De acordo com Borba, trata-se de uma medida nacional, não adotada apenas por Santa Catarina.

Também participaram da reunião desta terça-feira a vice-governadora Daniela Reinehr e os secretários Paulo Eli (Fazenda), Lucas Esmeraldino (Desenvolvimento Econômico), Ricardo de Gouvêa (Agricultura e Pesca), além do presidentes da Fiesc, Mario Cezar Aguiar, da FCDL, Ivan Roberto, da Fecomércio, Bruno Breithaup, da Facisc, Jonny Zulauf, e da Fecoagro, Cláudio Post.

A Alesc indicará um parlamentar para participar do grupo, que conta ainda com representantes do Ministério Público Federal (MPF), do Ministério Público estadual (MPSC) e do Ministério Público do Trabalho (MPT).

Acompanhe as notícias relacionados ao novo coronavírus em SC
As notícias sobre as medidas para conter a propagação do novo coronavírus em Santa Catarina e os boletins atualizados com a situação do Estado podem ser acessadas no site sc.gov.br ou www.coronavirus.sc.gov.br. As atualizações podem ser acompanhadas ainda pelo Youtube, Instagram e Facebook do Governo do Estado.

Fonte: Governo do Estado de SC.

Inep publica cronograma do Enem; provas serão em 1° e 8 de novembro

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou hoje (31) os editais das versões impressa e digital do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020. O período de inscrição será de 11 a 22 de maio. O participante que optar por fazer o Enem impresso não poderá se inscrever na edição digital e, após concluir o processo, não poderá alterar sua opção.

De acordo com o cronograma, o Enem 2020 impresso será aplicado em 1º e 8 de novembro. Os editais foram publicadas no Diário Oficial da União desta terça-feira e também estão disponíveis na página do Enem. Os participantes que optarem por realizar a versão digital do exame farão as provas nos dias 11 e 18 de outubro.

A autarquia vinculada ao Ministério da Educação também informou que, a partir do dia 6 de abril, os estudantes poderão fazer a solicitação de isenção da taxa de inscrição do Enem.

Os requerimentos e as justificativas de ausência na edição anterior devem ser feitas pela internet, na Página do Participante, com acesso pelo computador ou celular.

Pode solicitar a isenção da taxa quem está cursando a última série do ensino médio, em 2020, em escola da rede pública declarada ao Censo Escolar; quem cursou todo o ensino médio em escola da rede pública ou como bolsista integral na rede privada, além de ter renda, por pessoa, igual ou menor que um salário mínimo e meio, e quem está em situação de vulnerabilidade socioeconômica por ser membro de família de baixa renda, devendo informar o número de identificação social (NIS), único e válido, além de ter renda familiar por pessoa de até meio salário mínimo ou renda familiar mensal de até três salários mínimos.

Os participantes que solicitaram isenção em 2019, não realizaram os dois dias de prova e querem solicitar nova isenção para 2020, devem fazer a justificativa de ausência. O resultado dos pedidos deve ser divulgado em 24 de abril. Entre 27 de abril e 1º de maio será aberto prazo para apresentação de recursos e os resultados finais estarão disponíveis em 7 de maio. As regras valem para a versão impressa e digital.

O Inep ressalta que a aprovação da justificativa de ausência no Enem 2019 e da solicitação de isenção da taxa de inscrição não significa que a inscrição foi realizada. Portanto, os participantes deverão acessar o Sistema Enem e se inscrever para esta edição do exame.

Inscrições
Neste ano, será obrigatória a inclusão de foto atual do participante no sistema de inscrição, que deverá ser utilizada para procedimento de identificação no momento da prova. O valor da taxa de inscrição permaneceu o mesmo da edição de 2019: R$ 85, que deverá ser pago até 28 de maio.

De acordo com o Inep, a estrutura do exame não foi alterada e será mantida a aplicação de quatro provas objetivas, constituídas por 45 questões cada, e uma redação em língua portuguesa. Durante o processo de inscrição, o participante deverá selecionar uma opção de língua estrangeira - inglês ou espanhol.

Acessibilidade
A Política de Acessibilidade e Inclusão do Inep visa dar atendimento especializado aos participantes que necessitarem. Para facilitar a compreensão no momento da inscrição, os atendimentos específicos (gestantes, lactantes, idosos e estudantes em classe hospitalar) foram incluídos na denominação "especializado". As solicitações para esses atendimentos também deverão ser feitas entre 11 e 22 de maio. Os resultados serão divulgados em 29 de maio. Para os pedidos que forem negados, está prevista uma fase para apresentação de recursos. O resultado final estará disponível no dia 10 de junho.

Os pedidos de tratamento por nome social serão feitos entre 25 e 29 de maio, com previsão de divulgação dos resultados em 5 de junho. O período para apresentação de recursos será entre 8 e 12 de junho e a disponibilização dos resultados finais em 18 de junho.

Enem Digital
A implantação do Enem Digital terá início neste ano e, de acordo com o Inep, será feita de forma progressiva. Nessa fase inicial, até 100 mil pessoas poderão fazer a prova no novo modelo. A previsão é que a consolidação deste modelo seja feita até o ano de 2026. A estrutura do exame será igual à da versão impressa.

O processo de inscrição é o mesmo da versão impressa. Serão disponibilizadas 100 mil inscrições para os primeiros participantes que optarem pela edição digital, conforme distribuição das vagas previstas no edital. Por se tratar de fase piloto de implantação do novo modelo, neste primeiro ano, o Enem Digital não estará disponível para treineiros e não promoverá atendimento especializado.

Fonte: Agência Brasil.

Autorização de frigoríficos do Brasil para exportação à China é paralisada por coronavírus, diz ministério

A China não aprovou nenhum novo frigorífico brasileiro para exportação neste ano devido à epidemia de coronavírus e todas as habilitações estão suspensas até um alívio na crise de saúde pública, de acordo com o secretário de Assuntos Internacionais do Ministério da Agricultura, Orlando Leite Ribeiro.

A paralisação ocorre mesmo após os governos do Brasil e da China terem chegado a um acordo em janeiro sobre um novo sistema que visa acelerar as aprovações. Segundo Ribeiro, o ministério tentou entrar em contato com representantes chineses no início deste ano sobre o início da implantação do sistema, mas naquela época, com o coronavírus surgindo, a Administração Geral das Alfândegas da China (GACC) não estava funcionando normalmente.

E, agora que o Brasil foi atingido pela epidemia, muitos funcionários públicos estão trabalhando em regime de "home office" para evitar a disseminação do vírus, o que os impede de realizar as reuniões necessárias para obter novas aprovações de plantas, disse o ministro.

"O que está acontecendo é um descasamento temporário. A China foi afetada primeiro pelo Covid-19 e agora, quando a China começou a voltar ao normal, o Brasil foi afetado pelo coronavírus", disse Ribeiro na noite desta segunda-feira, dia 30.

A China é o maior comprador de carne bovina, suína e de frango do Brasil.

Com informações do G1

Coronavírus: 500 mil kits de teste rápido chegam ao Brasil

O primeiro lote com 500 mil kits de testes rápidos para o novo coronavírus, comprados pela empresa Vale, já chegaram ao Brasil. A remessa vinda da China desembarcou no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, na tarde desta segunda-feira (30) e foi encaminhada para o centro de logística do Ministério da Saúde na capital paulista.

A Vale fechou a compra de 5 milhões de kits para a verificação de infecção por covid-19. O teste, produzido pela empresa chinesa Wondfo, tem registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Ele detecta anticorpos e permite que se tenha um resultado em apenas 15 minutos.

Segundo a mineradora, a doação é uma forma de ajudar o governo brasileiro no combate à disseminação da doença no país. A Vale está usando sua rede de logística na Ásia para trazer insumos ao Brasil. As 4,5 milhões de unidades restantes serão entregues à empresa pelo fornecedor ao longo do mês de abril.

A logística de distribuição dos kits no Brasil será feita pelo governo federal e o Ministério da Infraestrutura é o responsável por garantir a oferta de linhas aéreas essenciais para o despacho do material. A pasta também deve atuar em suporte quando houver lacunas na distribuição. “O ministro Tarcísio [Freitas] está em contato com os estados através do Conselho Nacional de Secretários de Transportes (Consetrans) e conta com a possibilidade de usar aeronaves e veículos oficiais, além do apoio das Forças Armadas”, informou o ministério.

Em publicação no Twitter, o presidente Jair Bolsonaro destacou o trabalho da equipe. “Chega o primeiro lote de kits de exame rápido. Quinhentos mil itens de um total de 5 milhões doados pela Vale. A distribuição do material desta etapa está a caminho dos 26 estados de todo Brasil e DF”, escreveu.


Hospital das Clínicas de Porto Alegre

Bolsonaro também anunciou a chegada de novos equipamentos de Terapia Intensiva no Hospital das Clínicas de Porto Alegre (HCPA), custeado com recursos do Ministério da Educação (MEC). De acordo com o presidente, mais recursos serão distribuídos para expansão dos leitos de 40 hospitais universitários.

No dia 13 de março, o governo editou medida provisória que destina R$ 5 bilhões para combater a crise provocada pelo coronavírus (Covid-19). Do montante, além dos recursos para o HCPA, os hospitais universitários receberão R$ 204 milhões.

O hospital de Porto Alegre passará a contar com 105 leitos em um novo Centro de Terapia Intensiva (CTI). A unidade atual tem 53 leitos. Ele é integrante da rede de hospitais universitários do MEC e vinculada academicamente à Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

De acordo com o ministério, a obra física do novo CTI foi entregue em outubro de 2019. Com o surgimento da pandemia de covid-19, o MEC liberou, no início de março, emergencialmente, R$ 57 milhões para que o hospital comprasse os equipamentos e pagasse as despesas de custeio para colocar a unidade em funcionamento.

O CTI será implementado de forma gradual e, até sexta-feira (3), dez novos leitos de terapia intensiva dedicados, exclusivamente, a pacientes portadores de covid-19 devem ser instalados. Além disso, o MEC analisa o pedido de 775 vagas para profissionais assistenciais e de apoio para atuarem na unidade.



Fonte: Agência Brasil.



Senado aprova projeto que prevê R$ 600 mensais a trabalhadores informais

O Senado aprovou nesta segunda-feira (30) em sessão virtual, por 79 votos votos a zero, o projeto que prevê o repasse de R$ 600 mensais a trabalhadores informais. A aprovação foi motivada pela pandemia do novo coronavírus, e o texto prevê o pagamento por três meses.

A proposta foi aprovada pela Câmara dos Deputados na semana passada segue para a sanção do presidente Jair Bolsonaro. Segundo o projeto, o pagamento do auxílio será limitado a duas pessoas da mesma família.

O projeto do governo previa R$ 200 por mês. No Congresso, os parlamentares aumentaram o valor para R$ 600.

Pelo texto, a trabalhadora informal que for mãe e chefe de família terá direito a duas cotas, ou seja, receberá R$ 1,2 mil por mês, durante três meses.

A proposta estabelece uma série de requisitos para que o autônomo tenha direito ao auxílio, apelidado por alguns parlamentares de "coronavoucher".

Segundo o projeto, o trabalhador precisa ter mais de 18 anos, cumprir critérios de renda familiar e não pode receber benefícios previdenciários, seguro desemprego nem participar de programas de transferência de renda do governo federal, com exceção do Bolsa Família

De acordo com a Instituição Fiscal Independente (IFI), ligada ao Senado, o auxílio emergencial, nos três meses de pagamento, representará cerca de R$ 59,8 bilhões. A IFI aponta que 30,8 milhões de trabalhadores informais poderão ser beneficiados.


O relator da proposta no Senado, Alessandro Vieira (Cidadania-SE), propôs algumas mudanças na redação da proposta que não forçaram o reenvio do texto para a Câmara dos Deputados.

Uma das mudanças prevê que o benefício será recebido pelo trabalhador em três prestações mensais, para garantir que a ajuda seja concedida ainda que haja atraso no cadastro dos beneficiários.

Entenda a proposta

O projeto altera uma lei de 1993, que trata da organização da assistência social no país.

De acordo com o texto, durante o período de três meses, será concedido auxílio emergencial de R$ 600 ao trabalhador que cumpra, ao mesmo tempo, os seguintes requisitos:

ser maior de 18 anos de idade;
não ter emprego formal;
não ser titular de benefício previdenciário ou assistencial, beneficiário do seguro-desemprego ou de programa de transferência de renda federal, à exceção do Bolsa Família;
ter renda familiar mensal por pessoa de até meio salário mínimo ou renda familiar mensal total de até três salários mínimos;
que, no ano de 2018, não tiver recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70.
O auxílio será cortado caso seja constatado o descumprimento de desses requisitos.

O texto diz também que o trabalhador deve exercer atividade na condição de:

microempreendedor individual (MEI);

contribuinte individual do Regime Geral de Previdência Social que trabalhe por conta própria;
trabalhador informal empregado, autônomo ou desempregado, intermitente inativo, inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), até 20 de março de 2020, ou que se encaixe nos critérios de renda familiar mensal mencionados acima, desde que faça uma autodeclaração pelo site do governo.

A proposta estabelece ainda que somente duas pessoas da mesma família poderão receber o auxílio emergencial. Para quem recebe o Bolsa Família, o programa poderá ser substituído temporariamente pelo auxílio emergencial, caso o valor da ajuda seja mais vantajosa.

As condições de renda familiar mensal per capita e total serão verificadas por meio do CadÚnico, para os trabalhadores inscritos. No caso dos não inscritos, as condições serão verificadas por meio de autodeclaração, através de plataforma digital.

O projeto também define que o auxílio emergencial será operacionalizado por bancos públicos federais, que ficam autorizados a efetuar o pagamento por meio de conta do tipo poupança social digital, de abertura automática em nome dos beneficiários.

A proposta estabelece que o Executivo regulamentará o auxílio emergencial e que o período de três meses de concessão da ajuda poderá ser prorrogado por ato do governo durante o período de enfrentamento da pandemia provocada pelo novo coronavírus.

Antecipação
O projeto também autoriza o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) a antecipar R$ 600 para as pessoas na fila do Benefício de Prestação Continuada (BPC), durante o período de três meses.

Também autoriza o INSS a antecipar um salário mínimo para as pessoas que estejam na fila do auxílio-doença, durante o período de três meses, desde que sejam cumpridos alguns requisitos.

Impasse no BPC
O projeto tenta resolver um impasse em relação ao Benefício de Prestação Continuada (BPC), pago no valor de um salário mínimo por mês a idosos ou pessoas com deficiência de baixa renda.

O Congresso havia ampliado o limite de renda para ter direito ao pagamento do benefício, que valeria já para este ano. Com isso, mais pessoas passariam a ser beneficiadas, elevando as despesas públicas.

O presidente Bolsonaro, no entanto, vetou o projeto alegando que não havia sido indicada fonte de receita, mas os parlamentares depois derrubaram esse veto.

O governo federal, então, recorreu ao Tribunal de Contas da União (TCU) para que a ampliação do limite valesse apenas a partir do ano que vem.

O ministro do TCU Bruno Dantas atendeu o pedido do governo, mas, no último dia 18, voltou atrás e suspendeu a própria decisão por 15 dias.

O projeto aprovado nesta quinta pela Câmara tenta resolver a divergência. O texto define a partir de quando as novas regras passarão a valer. A proposta, porém, cria exceções diante da crise do novo coronavírus.

Pelo projeto, terão direito ao benefício pessoas com mais de 65 anos ou com deficiência que tenham renda familiar per capita:

igual ou inferior a um quarto do salário mínimo, até 31 de dezembro de 2020;
igual ou inferior a meio salário mínimo, a partir de 1° de janeiro de 2021.
No entanto, diante da pandemia do novo coronavírus, o projeto abre brecha para ampliar o critério da concessão de benefício ainda neste ano.

O benefício poderá ser concedido para quem recebe até meio salário mínimo per capita, em escala gradual a ser definida em regulamento, de acordo com uma série de fatores agravados pela pandemia, como comprometimento socioeconômico familiar.

Próximos passos
Em entrevista no Palácio do Planalto, o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, explicou que a proposta de auxílio emergencial ainda precisa passar por três etapas: sanção presidencial; edição de um decreto regulamentador; e publicação de uma MP com abertura de crédito extraordinário para viabilização dos pagamentos.

O ministro frisou que o pagamento será feito por bancos federais e que a pasta também está trabalhando com a possibilidade de agências lotéricas e dos Correios efetuarem os pagamentos.

Onyx disse que ainda não é o momento de as pessoas procurarem os bancos e também disse que os trabalhadores devem tomar cuidado com golpistas que querem fraudar o sistema.

Fonte: G1.

Jovem de 22 anos morre após colisão entre carro e moto em Capinzal

Um grave acidente de trânsito vitimou um jovem de 22 anos na noite desta segunda-feira (30) no Contorno Viário de Capinzal. A colisão frontal aconteceu por volta das 22h26 no trevo de acesso a comunidade de Alto São Roque e envolveu um Fiat Uno, placa MJT-6994 de Capinzal e uma moto Yamaha YBR 125, placa MEU-1596 de Herval d’Oeste.

O motociclista, identificado por Cleiton Henrique de Sousa, foi socorrido pelos Bombeiros com múltiplas fraturas em parada cardiorrespiratória, sendo imobilizado e encaminhado ao Hospital Nossa Senhora das Dores onde o médico confirmou o óbito. O jovem foi encontrado próximo ao carro.

O automóvel se deslocava em direção a comunidade de Linha Residência e nas imediações do trevo invadiu a pista contrária e atingiu a moto que se deslocava sentido a empresa BRF. A moto parou a cerca de 50 metros do ponto de impacto e ficou destruída, assim como a frente do Fiat Uno.

A Polícia Militar isolou a área e acionou o Instituto Geral de Perícias (IGP). O condutor do automóvel de iniciais A.A.V. dos S. de 54 anos estava visivelmente embriagado. Ele foi submetido ao teste do etilômetro, que apontou 0,90 miligramas de álcool por litro de ar expelido pelos pulmões, logo recebeu voz de prisão.

Fonte: Rádio Capinzal.

segunda-feira, 30 de março de 2020

Sobe para 219 o número de casos confirmados de coronavírus em SC; pacientes graves têm de 32 a 83 anos

Em menos de 20 dias Santa Catarina ultrapassou a marca de 200 casos confirmados do novo coronavírus no estado. No final da tarde desta segunda-feira (30), o número de pacientes contaminados por Covid-19 foi atualizado, em coletiva de imprensa, pelo governador Carlos Moisés da Silva (PSL). São 219 em todo o território catarinense, 22 a mais em relação ao balanço divulgado no último domingo (29). Desses 50 estão em Florianópolis.

Do total de casos confirmados, 20 pacientes estão internados em leitos de Unidade Intensiva de Tratamento (UTI). Em estado grave têm pacientes com idade entre 32 e 83 anos, o que "desmistifica a faixa-etária exclusiva de pessoas que precisam de ação mecânica", esclareceu Moisés. 

Outros 160 adultos e 14 crianças ocupam leitos de hospital enquanto aguardam os resultados de exames. Desde a confirmação do primeiro caso, no entanto, uma única morte por conta da doença foi registrada. O paciente tinha 86 anos e era morador de Porto Belo, no litoral catarinense.

Em transmissão ao vivo, o governador iniciou sua fala reforçando, mais uma vez, os esforços de enfrentamento contra a doença em SC, especialmente através do isolamento social, para não colapsar a rede de saúde:

- Nenhuma estrutura de saúde pública ou privada no mundo inteiro conseguiu enfrentar essa crise sem o isolamento social, que é um remédio amargo, a gente sabe, mas que tem sido a única maneira de enfrentar o coronavírus. 

Também anunciou a ampliação de 118 novos leitos de UTI para o atendimento de pacientes em Santa Catarina e anunciou o nome de cinco hospitais referência, um em cada região do estado, para atendimento de pessoas positivadas e com agravamento do quadro de saúde.

Hospitais para casos graves de coronavírus em SC

Hospital de Florianópolis - na Grande Florianópolis

Hospital Regional de Araranguá - no Sul de SC

Hospital Teresinha Gaio Basso - em São Miguel do Oeste

Hospital Tereza Ramos - em Lages

Hospital São José de Joinville - no Norte de SC

Além desses, o Estado conta com outros 96 hospitais filantrópicos e que têm vínculo com o governo para operacionalização. Segundo Moisés, são 196 hospitais ao todo, que poderão realocar leitos, abrir novas alas e se tornarem referência ao atendimento do coronavírus. 


Fonte:NSC

Populares denunciam e PM dispersa aglomerações em Capinzal e Ouro


 Por volta das 16h45min deste domingo (29) a Polícia Militar foi acionada para averiguar denúncias de que havia aglomeração de pessoas em um estabelecimento localizado no interior de Ouro. Chegando ao local, os militares avistaram um bar em funcionamento e, próximo dele, um salão comunitário, ambos com aglomeração de pessoas realizando atividades diversas. Sendo assim, os responsáveis pelos estabelecimentos foram orientados e comprometeram-se a cessar com as atividades, além de dispensar as pessoas presentes. Diante dos fatos, a guarnição confeccionou o boletim de ocorrência e o levantamento fotográfico.

Por volta das 22h30min deste domingo (29) a PM foi acionada para atender uma ocorrência de perturbação do sossego no Loteamento Jardim da Serra, em Capinzal. No local, constatou-se que havia um grupo de pessoas, aglomerados, realizando atividades festivas. Os militares orientaram o responsável que se comprometeu em cessar com as atividades e dispensar as pessoas presentes. Diante dos fatos, a guarnição confeccionou o boletim de ocorrência e o levantamento fotográfico.

Fonte: Michel Teixeira.

PRESIDIÁRIO EM SAÍDA TEMPORÁRIA POR CAUSA DO COVID-19 É PRESO PELA PM DE CAMPOS NOVOS


Resultado de imagem para foto policia militar sc

Ele estava com uma pistola, munições e drogas, tentou fugir com um veículo, mas foi preso.

Na madrugada deste domingo (29/03), policiais militares estavam em rondas no centro da cidade de Campos Novos, quando, por volta de 02h, avistaram um veículo VW/Parati em atitude suspeita, e, tendo determinado que parasse, o motorista não acatou e fugiu em alta velocidade, sendo acompanhado à distância segura pelos policiais militares.
Em seguida, o veículo rodou na pista e colidiu com outro veículo estacionado, próximo à lanchonete Rampas.
O motorista tentou fugir a pé, pulando o muro de um condomínio residencial, mas logo foi contido e imobilizado pelos policiais, mesmo oferecendo resistência física e tentado entrar em luta corporal com os policiais.


Ele foi identificado, sendo constatado que se tratava de um PRESIDIÁRIO, que estava em SAÍDA TEMPORÁRIA, com uma pistola calibre .380, 11 munições, 4 invólucros com cocaína e R$ 179,00 em espécie.

Ele foi conduzido à Delegacia e retornou ao presídio.

Polícia Militar de Santa Catarina: Presentes e Protegendo!

Comunicado do Banco do Brasil/Agência de Erval Velho


Termina nesta terça-feira prazo para saque imediato do FGTS

O trabalhador que ainda não fez o saque imediato de até R$ 998 do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) tem até amanhã (31) para retirar o dinheiro. Na quarta-feira (1º), todo o dinheiro não sacado retornará à conta original.

Desde setembro do ano passado, a Caixa Econômica Federal está distribuindo dinheiro de contas ativas ou inativas do FGTS. Os recursos foram liberados de forma escalonada até dezembro, num cronograma baseado no mês de nascimento do trabalhador. Ao todo, foram distribuídos cerca de R$ 40 bilhões, que serviram para estimular a economia no fim do ano passado.

O valor usado como referência para o saque imediato é o saldo de cada conta – ativa ou inativa – em 24 de julho do ano passado. Os trabalhadores com saldo acima de R$ 998 nessa data só podem sacar até R$ 500 por conta de FGTS. Quem tinha contas com até R$ 998 – montante equivalente ao salário mínimo no ano passado – pode sacar até esse valor.

Numa simulação, um trabalhador que tinha R$ 998 numa conta do FGTS e R$ 1 mil em outra conta em 24 de julho do ano passado só pode retirar R$ 998 da primeira conta e R$ 500 da segunda.

A retirada também pode ser feita por quem tinha sacado os R$ 500 da conta no ano passado e não retirou a diferença entre R$ 500 e R$ 998 em dezembro. Inicialmente, o governo permitiria apenas a retirada de até R$ 500 por conta, mas o Congresso Nacional ampliou o saque para R$ 998 para contas com saldo igual ou inferior ao salário mínimo.

Como sacar

O saque poderá ser feito pelos mesmos canais de pagamento da primeira etapa do saque imediato. Por causa da pandemia de coronavírus, a Caixa orienta o resgate por meio do aplicativo FGTS, disponível para tablets e smartphones dos sistemas Android e iOS. Nesse caso, o trabalhador pode programar a transferência do dinheiro para qualquer conta em seu nome, independentemente do banco. A operação não tem custo.

Os saques de até R$ 998 podem ser feitos nas casas lotéricas, caso esses estabelecimentos estejam abertos, e terminais de autoatendimento para quem tem senha do Cartão Cidadão. Quem tem Cartão Cidadão e senha pode sacar nos correspondentes Caixa Aqui, caso esses estabelecimentos estejam autorizados a abrir. Basta apresentar documento de identificação.

Atendimento

Desde a última terça-feira (24), as agências da Caixa estão funcionando em horário reduzido, das 10h às 14h. O atendimento está restrito a quem não puder resolver o problema por canais eletrônicos. As dúvidas sobre valores e a data do saque podem ser consultadas no aplicativo do FGTS, pelo site da Caixa ou pelo telefone de atendimento exclusivo 0800-724-2019, disponível 24 horas.

A Caixa destaca que o saque imediato não altera o direito de sacar todo o saldo da conta do FGTS, caso o trabalhador seja demitido sem justa causa ou em outras hipóteses previstas em lei.

Essa modalidade de saque não significa que houve adesão ao saque aniversário, que é uma nova opção oferecida ao trabalhador a partir de abril, em alternativa ao saque por rescisão do contrato de trabalho. Por meio do saque aniversário, o trabalhador poderá retirar parte do saldo da conta do FGTS, anualmente, de acordo com o mês de aniversário.


Fonte: Agência Brasil

Dupla é presa com armas, munições e animais silvestres abatidos no interior de Irani

A Polícia Militar Ambiental de Concórdia, em operação conjunta com a Polícia Militar de Irani, deslocaram até Linha Toldinho, na manhã deste domingo (29) para atender denúncia de caça ilegal, em uma propriedade naquele localidade.

Nas proximidades da fazenda denunciada, enquanto monitoravam a movimentação, os policiais localizaram e realizaram a abordagem de um veículo caminhonete Ford Ranger com dois ocupantes em seu interior. Durante a busca veicular, os policiais localizaram duas carcaças de animais silvestres (Tatu) abatidos, dois revólveres, sendo um calibre 38, que não possuía registro, e outro calibre 357, registrado em nome de um dos ocupantes do veículo.

Foram localizadas ainda, nove munições cal 38 e 11 cartuchos deflagrado do mesmo calibre, 71 munições do calibre 357 e 46 munições de calibre 22. Foi possível constatar, no ato da abordagem, que os animais silvestres haviam sido recentemente abatidos, estando limpos e resfriados.

Diante dos fatos constatados, foi dada voz de prisão aos ocupantes do veículo e ambos foram conduzidos a delegacia de polícia da comarca de Concórdia para as providências cabíveis.

Fonte: Michel Teixeira.

Colisão frontal provoca duas mortes na BR-282 em Ponte Serrada

Um grave acidente de trânsito foi registrado por volta das 19h20 deste domingo (29), vitimou duas pessoas na BR-282. O acidente ocorreu na região da chamada “Curva do Catapam” em Ponte Serrada, envolvendo um GM/Vectra de Ponte Serrada, e um caminhão baú Ford/Cargo de Carambeí/PR.

Os dois veículos colidiram frontalmente depois que o carro acabou invadindo a pista contrária ao aquaplanar sobre a pista de rolamento. No momento do acidente quatro pessoas entre elas uma criança estava no carro. Dois dos ocupantes do Vectra ficaram presos às ferragens e foram a óbito no local do acidente. 

Informações Ronda Policial


Últimas notícias de coronavírus de 30 de março

A Espanha registrou 812 novas mortes por complicações provocada pelo novo coronavírus nas 24 horas e o balanço de mortes supera 7,3 mil no país, informou nesta segunda-feira (30) o Ministério da Saúde local. O número de mortes entre domingo (29) e esta segunda é inferior ao número recorde de 838 registrado no balanço anterior.

A Malásia, no sudeste asiático. só irá permitir que as lojas que vendem artigos de uso diário funcionem das 8h às 20h. A determinação vale para supermercados e postos de gasolina. Sob regras isolamento desde 18 de março, serviços essenciais, como saúde, transporte e indústria de alimentos, estão funcionando. O país já registrou mais de 2,4 mil casos do novo coronavírus.

O Zimbábue dá início nesta segunda-feira (30) a 21 dias de quarentena em um esforço para conter a expansão da pandemia de Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus.

Passa de 724 mil o número de infecções pelo novo coronavírus e de 34 mil mortes em todo o mundo, segundo a universidade americana Johns Hopkins. Mais de 152 mil se recuperaram da doença.

Fonte: G1.

Estado publica regras para as instituições financeiras que vão atender a população

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) publicou a Portaria 192 com as regras que deverão ser seguidas pelos bancos, correspondentes bancários, lotéricas e cooperativas de crédito que vão atender o público a partir desta segunda-feira, 30.

A abertura é uma medida estabelecida por Decreto 534 publicado na última quinta-feira, 26, para permitir o acesso a benefícios sociais, dinheiro para despesas essenciais e crédito para preservar as finanças das empresas.

Para as atividades que não são consideradas essenciais, as restrições de convívio social permanecerão em vigor.

Obrigações das agências e unidades de atendimento:

- Priorização do afastamento, sem prejuízo de salários, de empregados pertencentes a grupo de risco, tais como pessoas com idade acima de 60 anos, hipertensos, diabéticos, gestantes e imunodeprimidos.

- Priorização de trabalho remoto para os setores administrativos.

- Adoção de medidas internas, especialmente aquelas relacionadas à saúde no trabalho, necessárias para evitar a transmissão do coronavírus no ambiente de trabalho.

- Utilização, se necessário de veículos de fretamento para transporte de trabalhadores, ficando a ocupação de cada veículo limitada a 50% da capacidade de passageiros sentados.

- Providenciar o controle de acesso, a marcação de lugares reservados aos clientes, o controle da área externa do estabelecimento, bem como a organização das filas para que seja mantida a distância mínima de 1,5 m entre cada pessoa.

- Estabelecer que as pessoas que acessarem e saírem do estabelecimento façam a higienização com álcool em gel 70% ou preparações antissépticas ou sanitizantes de efeito similar, disponibilizando em pontos estratégicos como na entrada do estabelecimento, nos corredores, balcões e mesas de atendimento dispensadores para uso dos clientes e funcionários.

- O ingresso no estabelecimento será feito em número proporcional à disponibilidade de atendentes, evitando aglomerações em seu interior.

- Deve ser dado atendimento preferencial e especial a idosos, hipertensos, diabéticos e gestantes garantindo um fluxo ágil de maneira que essas pessoas permaneçam o mínimo de tempo possível no interior do estabelecimento.

- Manter todas as áreas ventiladas, incluindo caso exista, os refeitórios de funcionários e locais de descanso.

- Os trabalhadores devem ser orientados a intensificar a higienização das mãos, principalmente antes e depois do atendimento de cada cliente, após uso do banheiro, após entrar em contato com superfícies de uso comum como balcões, corrimão, teclados de caixas, etc.

- Realizar procedimentos que garantam a higienização contínua do estabelecimento, intensificando a limpeza das áreas com desinfetantes próprios para a finalidade e realizar frequente desinfecção com álcool 70%, quando possível, sob fricção de superfícies expostas, como maçanetas, mesas, teclado, mouse, materiais de escritório, balcões, corrimões, interruptores, elevadores, balanças, banheiros, lavatórios, entre outros.

- Nos locais onde há uso de máquina para pagamento com cartão, esta deverá ser higienizada com álcool 70% ou preparações antissépticas após cada uso.

- Os caixas eletrônicos de autoatendimento ou qualquer outro equipamento que possua painel eletrônico de contato físico deverão ser higienizados com álcool 70% ou preparações antissépticas, após cada uso.

- Os trabalhadores que atendem ao público nas operações bancárias devem usar máscara cirúrgica devido a proximidade exigida pela confidencialidade das operações. O mesmo não se aplica aos trabalhadores das casas lotéricas que trabalham atrás de guichês de vidro. A presente norma se aplica também aos trabalhadores que irão organizar as filas de entrada aos estabelecimentos.

- Manter o mínimo de atendimento direto emergencial somente para associados/as que efetivamente tiverem necessidades de operações como pagamento ou saque, créditos emergenciais ou renegociações urgentes.

- Efetuar o controle de acesso, mantendo trabalhador na porta da unidade para orientar os associados/as que buscarem atendimento, o qual deverá estar utilizando máscara facial cirúrgica, fazendo triagem para encaminhando para atendimento de um associado por vez somente nas condições de ser emergencial e orientar que os demais atendimentos deverão ser feitos por meio eletrônico ou por telefone.

- Os shoppings, galerias e centros comerciais que abrangem o funcionamento de agências bancárias, de cooperativas de crédito e lotéricas devem providenciar a abertura somente da porta de acesso mais próxima à agência ou unidade de atendimento. As demais áreas devem ser bloqueadas, não permitindo a circulação de pessoas.

Fonte:Secom

domingo, 29 de março de 2020

Medidas restritivas em SC serão prorrogadas


As medidas restritivas adotadas por Santa Catarina, no combate ao coronavírus, serão prorrogadas por mais alguns dias. A decisão foi tomada na manhã deste domingo (29) em reunião entre o governador Carlos Moisés, os prefeitos das maiores cidades do Estado e os presidentes das 21 Associações de Municípios.

Carlos Moisés disse que a retomada gradual de alguns serviços não-essenciais depende da preparação do sistema de saúde para a crise do coronavírus. Essa organização está condicionada à chegada de recursos e equipamentos de proteção individual (EPIs) por parte do governo federal, além de materiais para leitos de UTI que foram comprados pela Secretaria de Estado da Saúde.

— Todas essas questões nos levam a uma posição muito tranquila de que temos que aguardar um pouco mais para colocar em ação o nosso plano de retomada das atividades econômicas. Precisamos estruturar melhor a nossa rede para que não tenhamos o risco de uma sobrecarga do sistema enquanto os equipamentos ainda estão chegando — afirmou, em nota divulgada à imprensa

Ainda no comunicado, o governador reforçou a prioridade na preservação da vida em Santa Catarina durante o combate à pandemia da COVID-

— Essa decisão está tomada, no sentido de colocar a vida em primeiro lugar em Santa Catarina. Haverá efeitos econômicos muito grandes? Sim, mas o Estado não pode se omitir em um momento como esse. É necessário um esforço extra de cada um para que possamos superar essas dificuldades. Precisamos da união de todos os entes públicos e contamos com o apoio dos prefeitos nesse momento — disse.

Reunião com prefeitos

Pouco antes da divulgação do comunicado oficial do governo, alguns prefeitos já haviam relatado o teor da reunião. O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, afirmou que o Estado não detalhou de que forma e por quantos dias serão prorrogadas as restrições.

Criciúma, que é a terceira cidade de Santa Catarina com mais casos confirmados da doença (13), também participou do encontro. O prefeito Clésio Salvaro disse que ficou decidido, em conjunto, que a partir de agora as futuras decisões e decretos relacionados ao vírus Covid-19 serão debatidos com os prefeitos.
Salvaro também mencionou que o governo deve ampliar para sete, ou até dez dias, as medidas restritivas, e que a decisão deve ser anunciada ainda neste domingo (29).



Fonte: NSC

sábado, 28 de março de 2020

Moisés admite a possibilidade de manter quarentena em SC


Dois dias depois do anúncio do plano de retomada econômica – na prática, o relaxamento da quarentena em SC – o governador Carlos Moisés (PSL) admitiu a possibilidade de voltar atrás durante a coletiva de imprensa na manhã deste sábado (28). Críticas ao afrouxamento das medidas de quarentena em SC vieram de todos os lados. Inclusive das redes sociais, o mais novo e temido espaço de linchamento público. A hashtag “SC não quer morrer” chegou a figurar entre os assuntos mais comentados do twitter na sexta-feira.


Santa Catarina não tem rede hospitalar suficiente para dar conta de uma contaminação em massa. O governo, é claro, sabe disso. Somados os leitos públicos e privados de UTI, temos 800 em funcionamento. De acordo com as projeções mais conservadoras, podemos chegar a uma demanda de 7 mil leitos de internação intensiva por casos graves de covid-19.


Uma situação como essa, em um curto período de tempo, tem nome e sobrenome: colapso do sistema de saúde. O resultado seria um desgaste inevitável ao governador. Afinal, foi ele quem cedeu aos apelos dos empresários e abriu mão da quarentena total.


Moisés já anunciou que quer praticamente dobrar o número de leitos de UTI em Santa Catarina em 30 dias. Sem resposta rápida e efetiva não poderá fazer isso. É motivo suficiente para cancelar a reabertura do comércio e o ensaio de “vida normal”.


Com informações Dagmara Spautz/NSC.

Motorista morre em colisão frontal contra caminhão na BR-282 em Catanduvas

O motorista de um VW/Gol morreu após colidir frontalmente contra um caminhão na manhã deste sábado (28) na BR-282, em Catanduvas. O acidente, que ocorreu nas proximidades da ervateira Regina, está sendo atendido neste momento pelos Bombeiros do município. De acordo com as primeiras informações, ambos os veículos tem placas de Catanduvas.

Polícia Militar sinaliza o local e aguarda a chegada do IGP e Polícia Rodoviária Federal.



Fonte:Caco da Rosa

sexta-feira, 27 de março de 2020

Coronavírus em Santa Catarina: estado chega a 163 casos confirmados em duas semanas

Santa Catarina atinge a marca de 163 casos confirmados do novo coronavírus nesta sexta-feira (27), informou o governo do Estado em coletiva de imprensa. São 33 municípios com pessoas positivadas para a doença em todas as regiões de SC. É Florianópolis a cidade com o número mais alto infectados, com 27 confirmações, seguida de Itajaí, com 18.  

Fazem duas semanas, exatamente, do primeiro registro em território catarinense e, nesse período, o dia que apresentou a menor taxa de novos contaminados foi esta sexta-feira, divulgou o governador Carlos Moisés da Silva (PSL):

- A taxa de exames positivados de ontem para hoje é de 9% desde início da contagem. Não é galopante, é natural que cresça, que seja geométrica. 

Moisés disse que o Estado vai completar a primeira quinzena em quarentena para mensurar, então, o resultado do decreto que declarou situação de emergência em Santa Catarina, no dia 18 de março, como uma tentativa de baixar a curva no no estado:

- A maioria de nós será infectada pelo vírus, é inevitável e impossível. O que queremos é retardar o contágio em massa, para que a gente ganhe tempo para tentar se preparar para o enfrentamento à pandemia. Sabemos que pessoas irão morrer. Nenhum outro estado ou país conseguiu se preparar até agora. O que a gente quer é dar sobrevida para mais pessoas - disse.

Cidades com casos confirmados de coronavírus em SC

Florianópolis 27
Itajaí 18
Blumenau 12
Criciúma 12
Balneário Camboriú 9
Braço do Norte 9
Tubarão 8
Joinville 8
São José 8
Imbituba 5
Camboriú 4
Chapecó 4
Gravatal 3
Porto Belo 3
Navegantes 3
Jaguaruna 2
Jaraguá do Sul 2
Rancho Queimado 2
Siderópolis 2
Antônio Carlos 1
Arroio do Silva 1
Canelinha 1
Gaspar 1
Içara 1
Itapema 1
Lages 1
Laguna 1
Pomerode 1
São Lourenço do Sul 1
São Ludgero 1
São Pedro de Alcântara 1
Tijucas 1
Timbé do Sul 1
Outros estados 5
Outros países 3

Fonte:NSC

Itália registra 969 mortes nas últimas 24h. Total chega a 9.134 nesta sexta (27)

A Itália registrou 969 mortes pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, um recorde em qualquer país desde que a pandemia começou no final de dezembro na China. Com os novos óbitos, o total de falecimentos no país alcançou 9.134 nesta sexta-feira, dia 27.

Mais de 500 das mortes registradas no último dia aconteceram na Lombardia, região no norte do país que é o epicentro da Covid-19 na Itália. Ao todo, a nação tem 80.589 casos de contágio pelo vírus.

Antes desta sexta, o recorde de mortes no país aconteceu em 21 de março, quando 793 pessoas haviam morrido. Entre os óbitos anunciados hoje, contudo, estão 50 pessoas que morreram na quinta-feira, dia 26, na região do Piemonte, que só foram contabilizadas agora. 

O recorde no número de óbitos foi batido pouco depois do chefe do Instituto Superior de Saúde do país, Silvio Brusaferro, anunciar que as infecções pelo novo coronavírus na Itália ainda não atingiram seu pico. 

Com informações da Revista Veja.

Recuo no isolamento anunciado por Moisés causa apreensão na área da saúde

O recuo nas medidas de isolamento social adotadas em Santa Catarina no combate ao novo coronavírus, comunicado pelo governador Carlos Moisés nesta quinta-feira (26) em um plano de retomada da economia, foi recebido com apreensão por entidades de saúde do Estado.

Entre as medidas anunciadas, estão a liberação para funcionamento de shoppings, bares, restaurantes, comércio em geral e outros serviços não essenciais a partir do dia 1º de abril. O transporte coletivo de ônibus, porém, continuará suspenso.

O presidente da Associação Catarinense de Medicina (ACM), Ademar José de Oliveira Paes Junior, afirma que ainda não é possível compreender a evolução e a velocidade dos casos de coronavírus em Santa Catarina e que, portanto, seria mais prudente manter as medidas adotadas até o momento. 

— É totalmente incerto o padrão do comportamento da doença. Pode ser que até o dia 1º de abril a gente tenha um crescimento de casos que inviabilize o retorno das atividades. Nós entendemos a preocupação de todos os setores, mas enquanto entidade médica a gente foca na questão de saúde e de preservação da vida, independentemente da faixa etária ou da camada social — afirma.

O médico acrescenta que uma possível explosão de casos poderia provocar um colapso no sistema de saúde catarinense:

 As informações que temos recebido é que não teremos recursos suficientes para atender toda a demanda de um crescimento de casos da doença, nem na rede pública nem na rede privada. Então essa é uma das grandes preocupações  
Ademar José de Oliveira Paes Junior, presidente da Associação Catarinense de Medicina
As medidas anunciadas também foram recebidas com apreensão pela presidente do Conselho Regional de Enfermagem (Coren-SC), Helga Bresciani.

Nos causa apreensão essa medida, porque o que nós vimos no restante do mundo foi que, ao não tomar os cuidados essenciais, o vírus se propagou muito rápido e os países tiveram que voltar ao isolamento. A gente não sabe se o que foi previsto pela Secretaria de Saúde em termos de estrutura vai dar conta, principalmente depois da liberação 
Helga Bresciani, presidente do Conselho Regional de Enfermagem
A presidente do Coren-SC comenta que outra preocupação é sobre a contaminação dos profissionais da área, o que poderia dificultar ainda mais o trabalho diante do provável aumento de casos da doença nas próximas semanas, previsto inclusive pelo próprio governo catarinense.

— Por isso também a nossa preocupação para que o governo faça uma previsão de aumento de profissionais, além da capacitação adequada dos mesmos e a disponibilização dos equipamentos necessários para evitar que eles se contaminem. Temos recebido denúncias de profissionais sobre falta desses equipamentos de proteção em alguns locais. 

Mais uma semana
O médico e professor Aroldo Prohmann de Carvalho, infectologista pediatra e coordenador do curso de Medicina da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), considera que, com mais pessoas na rua, é evidente que haverá uma contaminação maior pela doença, o que poderá colocar em risco a possível diminuição conquistada com a quarentena até o momento.

Na minha opinião pessoal, manter as restrições atuais por mais uma semana seria mais prudente. A preocupação que a gente tem é que, ao liberar, as pessoas comecem a exagerar no contato social e a perder um pouco essa responsabilidade que assumiram nesses dias 
Aroldo Prohmann de Carvalho, infectologista e coordenador do curso de Medicina da UFSC
Mudança de postura
O anúncio de Moisés representou uma mudança da postura do governo catarinense no enfrentamento da crise - Santa Catarina foi primeiro estado brasileiro a adotar medidas drásticas de restrição, iniciadas há pouco mais de uma semana.

Ele ocorre após pressão da classe empresarial e de críticas do presidente Jair Bolsonaro, que tem se manifestado contrário a medidas de isolamento adotadas pelos governadores alegando que isso prejudicará a economia do país.

A flexibilização do isolamento anunciada por Moisés foi criticada pelo governador do Rio Grande do Sul nesta sexta e também gerou repercussão na internet. A hashtag 'SCNaoQuerMorrer' entrou nos trending topics da rede social durante a manhã.

Em Santa Catarina, até o momento são 149 casos confirmados de coronavírus, outros 325 suspeitos e uma morte pela doença, segundo a última atualização da Secretaria de Saúde do Estado, feita na noite desta quinta (26).

Fonte: NSC.

PRF escolta desde o Paraná carga de 15 milhões de luvas cirúrgicas que serão usadas em SC


Policiais rodoviários federais do NOE (Núcleo de Operações Especiais) escoltaram na tarde e noite de hoje (quinta), uma carreta com 15 milhões de luvas cirúrgicas que serão usadas no combate ao Coronavírus.

A carga é avaliada em R$ 2 milhões. Além do valor financeiro, este tipo de mercadoria atualmente está muito cobiçada por bandidos devido ao momento de pandemia.

A carreta saiu da fábrica em Pinhais/PR e seguiu pela BR 101 até Florianópolis, onde foi descarregada no Centro de Ensino da Polícia Militar no bairro Trindade.

 As luvas estão à disposição da Secretaria da Saúde de SC, que vai distribui-las aos profissionais do sistema estadual de saúde e das forças de segurança.




Fonte:Nucom PRF

Estiagem impacta na produção de leite em Santa Catarina

A falta de chuva em Santa Catarina tem agravado a situação dos produtores de leite e reduzido a produção no Estado. O alerta é do vice-presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc), Enori Barbieri. Segundo ele, desde agosto do ano passado, quando o dólar ultrapassou os R$ 4,00, o aumento da exportação de milho se acelerou, ocasionando a diminuição da oferta e o aumento dos preços do cereal no mercado interno, o que também elevou os custos de produção com o uso de ração na alimentação do rebanho.

         Outro agravante citado por Barbieri foi a seca de novembro e dezembro em Santa Catarina que dizimou 40% das lavouras de milho destinadas à produção de silagem. Com o preço do leite estagnado entre R$ 1,20 e R$ 1,30 por quase dois anos, os produtores viram seus custos se elevarem consideravelmente.

A estiagem deste ano, iniciada em fevereiro e com previsão de se estender até a segunda quinzena de abril, agrava a situação. De acordo com a Barbieri, a falta de chuva destruiu as pastagens e os produtores já não estão conseguindo bancar os altos custos da ração à base de milho.

“Para se ter uma ideia, há um ano, a saca de milho era comercializada a R$ 35,00 e hoje está na casa dos R$ 55,00, o que praticamente inviabiliza a atividade. Estimamos que as perdas de produção já chegam até 40% do leite produzido em Santa Catarina”, ressalta Barbieri.

Diante deste quadro, o vice-presidente da Faesc alerta que os preços do leite ao consumidor poderão subir até 50% para readequação dos valores, conforme ocorreu com as carnes em dezembro do ano passado.

“Os produtores precisam urgentemente equilibrar seus ganhos aos custos de produção para a situação não se agravar ainda mais. Se isso não ocorrer, deveremos ter uma evasão ainda maior da atividade”, sublinha Barbieri ao destacar um dado preocupante do último Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE): cerca de 1.500 produtores de leite estão abandonando a atividade a cada ano no Estado. Atualmente, a cadeia produtiva reduziu-se a 33 mil produtores em Santa Catarina.

Apesar da preocupação no período, Santa Catarina mantém-se como quarto maior produtor nacional de leite, com 3,059 bilhões de litros ao ano.

Fonte: MB Comunicação.

FAESC apoia medidas da CNA para produtor superar crise

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc) endossa documento da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) encaminhado à ministra da Agricultura, Tereza Cristina, em caráter de urgência, solicitando um conjunto de propostas para que os produtores rurais possam superar os transtornos e os impactos causados pela pandemia do Coronavírus. Entre as prioridades está a prorrogação dos prazos dos financiamentos, sem que isso acarrete em mudanças na tributação ou em dificuldades de acesso ao crédito rural para a safra 2020/2021.

“A agricultura e a indústria de alimentos não podem parar, por isso é preciso amparar os produtores rurais, que seguem cumprindo o papel de setor essencial e indispensável, produzindo com qualidade e garantindo o abastecimento de alimentos no País e no mundo, mesmo diante da situação da calamidade pública”, ressalta o presidente da Faesc e vice-presidente de Finanças da CNA, José Zeferino Pedrozo.

A lista de medidas inclui a prorrogação dos vencimentos dos financiamentos de custeio e investimento para os produtores das cadeias mais atingidas pela crise. Isso porque eles estão com sérias dificuldades na comercialização dos produtos, em função das restrições de locomoção e do fechamento de diversos canais de distribuição. Essa situação impacta sobre a receita de curto prazo desses setores, o que impede que os compromissos assumidos sejam honrados no prazo acordado antes da pandemia. Além disso, em função da perecibilidade de muitos produtos, o produtor não consegue armazená-los para venda futura, o que também compromete o seu fluxo de receitas.

Por isso, a CNA solicita a prorrogação das parcelas de custeio por seis meses, sem incidência de juros e correção monetária, medida que já foi adotada para outros setores econômicos, com o objetivo de manutenção dos negócios e dos empregos. No caso de parcelas de financiamentos de investimento vencidas ou com vencimento em 2020, a entidade solicita a prorrogação para depois da última parcela do contrato.

No documento elaborado, a entidade também defende a flexibilização emergencial de alguns procedimentos necessários para a formalização das operações de crédito rural. Entre essas medidas, destaca-se a dispensa temporária da necessidade de registro dos contratos e aditivos em cartório, fechados em vários municípios do país, o que inviabiliza a formalização completa das operações e a liberação de recursos.

TARIFAS BANCÁRIAS

Outra medida sugerida pelo documento é a retirada de tarifas que são cobradas pelas instituições financeiras para estudo dos pedidos de alongamento e repactuação das operações de crédito, que, especialmente nesse momento, oneram o produtor rural significativamente. Para Pedrozo, essas tarifas estão na contramão das medidas emergenciais adotadas pelo Governo para minimizar os impactos da crise econômica.

A CNA também pleiteia que o produtor fique dispensado da entrega presencial de documentos comprobatórios da aplicação de crédito, como recibos de armazenagem dos produtos, Guia de Trânsito Animal (GTA), ficha sanitária do rebanho, entre outros documentos, em função do fechamento das agências ou de sua limitada capacidade de atendimento no momento.

Nesse sentido, a entidade sugere que as instituições financeiras façam maior uso das tecnologias disponíveis para contratação do crédito rural, na época em que acontece a maior parte das contratações de pré-custeio para a safra 2020/2021.

“Não dar suporte aos produtores significa parar a produção de alimentos no País, o que só agrava a situação”, alerta Pedrozo.

MP DO AGRO

Segundo a proposta da CNA, também há a necessidade de celeridade na sanção presidencial da MP 897/2019, a MP do Agro, que traz inovações importantes relacionadas às garantias nas operações de crédito, segurança jurídica e fomento aos financiamentos privados.

De acordo com o documento, duas medidas importantes contidas na MP darão fôlego aos produtores: o repasse de recursos de fundos constitucionais às cooperativas de crédito, independentemente de aprovação do cronograma de reembolso das operações pelos Conselhos Deliberativos Regionais.

TRIBUTAÇÃO

Quanto à questão tributária, as demandas da entidade são: prorrogação do prazo de entrega e pagamento do Imposto de Renda Pessoa Física para 30 de junho; prorrogação do prazo de entrega das obrigações acessórias para pessoas jurídicas por 90 dias e diferimento do pagamento, por seis meses, do Programa de Regularização Tributária Rural (PRR).

A CNA também solicita a suspensão por seis meses das inscrições de operações na Dívida Ativa da União, e adiamento para julho dos pagamentos de tributos federais (PIS/Cofins e IPI) com vencimento em abril, maio e junho, sem incidência de juros e multa e parcelamento em três vezes.

Fonte: MB Comunicação/Marcos Bedin.