terça-feira, 4 de fevereiro de 2020

SC confirma novo caso de febre amarela em humano; é o segundo de 2020


Santa Catarina tem mais um caso confirmado de febre amarela em humano. A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), nesta segunda-feira (3). O paciente está internado no Hospital Nereu Ramos, em Florianópolis, unidade referência de infectologia em Santa Catarina. 

O diagnóstico para a doença foi confirmado pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen/SC) no último domingo (2).

O homem de 40 anos é morador de Jaraguá do Sul, no Planalto Norte de SC e não tem registro de vacina no Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI).

Este é o segundo caso de contaminação em humano no Estado e o quarto desde 2019, quando houve o primeiro diagnóstico no Estado. No ano passado SC registrou duas mortes em humanos por conta da doença.

O primeiro caso de 2020
O paciente que teve a doença confirmada em 24 de janeiro permanece internado no Hospital Nereu Ramos, em Florianópolis. Ele tem 47 anos e é morador do município de São Bento do Sul, também no Planalto Norte, e sem registro de vacina no sistema. 

Transmissão
A febre amarela é uma doença grave, transmitida por mosquitos em áreas silvestres e próximas de matas. A vacinação é a melhor forma de se proteger da doença. A dose é gratuita. Até o momento, a cobertura vacinal do Estado está em 84%, abaixo do que é recomendado pelo Ministério da Saúde, que é de vacinar pelo menos 95% do público-alvo.

Sintomas
A febre amarela é uma doença de evolução rápida. A contaminação resulta nos seguintes sintomas:

— febre de até sete dias de duração. 

— dor de cabeça intensa.

— dor abdominal.

— manifestações hemorrágicas.

— icterícia. 

Mortes de macacos
A SES também confirmou nesta segunda-feira, 3, mais dois macacos mortos por febre amarela. Os bugios foram localizados em Corupá, no dia 26 de dezembro de 2019, e em Blumenau, no dia 7 de janeiro deste ano.

No total, foram contabilizadas nove mortes de macacos por febre amarela em 2019 (Garuva, Joinville, Indaial, Jaraguá do Sul, São Bento do Sul e Corupá) e dois animais diagnosticados com a doença em 2020 (Blumenau e Pomerode).

Fonte: NSC.

Nenhum comentário:

Postar um comentário