quarta-feira, 8 de janeiro de 2020

Campos Novos é o 20º município que mais produz soja do sul do Brasil

Uma brincadeira em um grupo de WhatsApp de produtores rurais chamou a atenção esses dias. Nela, uma dúvida pairava e gerou muitos comentários: Quais são os maiores municípios produtores de soja da região Sul do país.

De prima, poucos acertaram, mas as cidades citadas não estavam longe das líderes, mostrando que os produtores rurais do país estão bem antenados quando o assunto é soja.

Para elucidar essas dúvidas, o Projeto Soja Brasil buscou o último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), lançado em 2018. Vale lembrar que apesar de a região ser a segunda maior produtora de soja do país, com mais de 40 milhões de toneladas produzidas pelos três estados, nenhuma cidade dali figura entre as 40 maiores do país.

A explicação é simples, por ser uma das primeiras regiões a explorar e se consolidar na agricultura do país, as áreas de produção são bastante divididas e bem menores que as do Centro-Oeste e Nordeste, fronteiras exploradas muitos anos depois e que lideram entre os municípios do país que mais produzem soja.

Mas enfim, vamos a lista, pois ela é o foco deste levantamento:

1º Tupanciretã (RS) – 478 mil toneladas
2º Tibagi (PR) – 396 mil toneladas
3º Júlio de Castilhos (RS) – 332 mil toneladas
4º Cachoeira do Sul (RS) – 329 mil toneladas
5º Cruz Alta (RS) – 326 mil toneladas
6º Cascavel (PR) – 324 mil toneladas
7º Palmeira das Missões (RS) – 318 mil toneladas
8º Castro (PR) – 294 mil toneladas
9º Guarapuava (PR) – 280 mil toneladas
10º Santa Bárbara do Sul (RS) – 279 mil toneladas
11º Jóia (RS) – 269 mil toneladas
12º São Luiz Gonzaga (RS) – 266 mil toneladas
13º São Gabriel (RS) – 254 mil toneladas
14º São Miguel das Missões (RS) – 252 mil toneladas
15º Ponta Grossa (PR) – 251 mil toneladas
16º Assis Chateaubriand (PR) – 243 mil toneladas
17º Toledo (PR) – 236 mil toneladas
18º Giruá (RS) – 214 mil toneladas
19º Lapa (PR) – 211 mil toneladas
20º Campos Novos (SC) – 208 mil toneladas

FONTE: JORNAL O CELEIRO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário