terça-feira, 2 de abril de 2019

SC tem agronegócio de primeiro mundo, mas faltam jovens no campo


Uma terra de clima temperado, montanhas e planícies, onde a agropecuária faz sucesso na maioria das culturas. Esta é Santa Catarina que alcança um desempenho de primeiro mundo em diversas culturas. A grande incógnita é como será o futuro porque os trabalhadores do campo estão envelhecendo. Esses diferenciais e desafios foram destacados na Síntese da Agropecuária de SC, apresentada sexta-feira pela Secretaria de Estado da Agricultura e Epagri.

A empresa de pesquisa agrícola, que tem à frente a engenheira agrônoma Edilene Steinwandter, lançou o aplicativo InfoAgro, com todos os principais dados sobre agronegócio para ajudar na tomada de decisão.  

Entre os produtos que colocam o agronegócio de SC num patamar de destaque internacional estão as carnes de frango e suíno, mel e maçã e ostras. O coordenador da pesquisa, Tabajara Marcondes, informa que a produtividade do leite foi uma surpresa positiva, quadruplicou de tamanho de 1970 até agora. E a área de soja triplicou. SC é destaque ainda em alho, cebola, vinho e outros itens.

A preocupação é como manter esse ecossistema produtivo e crescendo nos próximos anos. Isto porque os jovens continuam migrando. A Síntese de SC mostra que apenas 4% dos produtores rurais têm menos de 30 anos no Estado. Maior renda e tecnologias no campo podem ajudar a reter e atrair agricultores, mas políticas públicas podem colaborar para o campo ser mais atrativos.

Além da queda do número de jovens decididos a seguir na agropecuária, outro problema do campo catarinense é que mais meninas estudam e migram para o mundo urbano. Em função disso, boa parte dos jovens do meio rural acaba tendo dificuldades para encontrar noiva para casar, informou o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado, José Zeferino Pedrozo. Ele conta que foi abordado por uma família que tinha dois jovens com dificuldades para encontrar noiva. Este é um obstáculo a mais para reter as pessoas no campo.

Gradativamente, mais meninas abraçam a carreira de desenvolvimento de software. Sexta ocorreu um encontro do Facebook Developer Circle Florianópolis no Comadre Coworking. Reuniu meninas do 9º ano da Escola Básica Municipal Herondina Zeferino para discutir a maior participação das mulheres na tecnologia. 

Fonte: NSC.

Nenhum comentário:

Postar um comentário