quinta-feira, 22 de novembro de 2018

Novo grupo com imigrantes venezuelanos chega a SC

Nesta terça-feira (20), chegaram os demais venezuelanos do grupo de 60 que ficará morando em Palhoça. Na semana passada, 26 deles chegaram a Santa Catarina e se instalaram no complexo Dom Jaime Câmara, de propriedade do Governo do Estado. Os 34 novos imigrantes se juntaram ao primeiro grupo e também ficarão nas instalações por cerca de seis meses ou até que encontrem um trabalho e consigam viver por conta própria.

“Nós não podemos ficar alheios a uma situação que tem causando grande impacto em todo mundo. É uma questão humanitária e Santa Catarina tem realizado um processo organizado para que mais tarde não se torne um problema social ainda maior. Nós teremos seis meses para torná-los autosuficientes”, disse a secretária Romanna Remor, que acompanhou a chegada do grupo pessoalmente.

A secretária também fez questão de visitar as instalações onde estão abrigados e ficou muito feliz ao ver a organização e cuidado com que o primeiro grupo está cuidando de tudo. Muitos já fizeram cadastro no SINE e estão em busca de vagas no mercado de trabalho. Outros estão fazendo serviços autônomos até que encontrem um emprego definitivo. “Pelo que pudemos notar, logo muitos deles estarão integrados à comunidade e poderão seguir a vida sem a ajuda do Governo”, acredita a secretária.

Parceria

As providências para a chegada dos 60 imigrantes foi uma parceria entre Governo Federal, Governo do Estado, por meio da Secretaria de Assistência Social, Trabalho e Habitação, Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados – ACNUR e ONG DU Projetos da Grande Florianópolis.

O Governo Federal fará o repasse de R$ 2 mil e 400 reais adiantados para manutenção de cada um deles por seis meses. A SST cedeu duas casas de três quartos cada, localizadas no complexo Dom Jaime, que foram reformadas para melhor atendê-los com recursos repassados pela ACNUR. A Secretaria fez três orçamentos para as melhorias necessárias e repassou a eles que trataram diretamente com a empresa que realizou a reforma.

Para atender as necessidades iniciais dos imigrantes a SST realizou campanhas de arrecadação na comunidade, recebendo doações como produtos de higiene, cama e banho, além de roupas e outros utensílios. A ONG Du Projetos também está emprenhada em arrecadar alimentos e fará o acompanhamento das famílias.

Todos que chegaram ao estado já estão com a avaliação de saúde feita, carteira de vacinas atualizada e documentação regularizada para permanência e trabalho em Santa Catarina.

Fonte: Assessoria de Comunicação

Nenhum comentário:

Postar um comentário