quinta-feira, 1 de novembro de 2018

Manifestação de caminhoneiros ainda não deve chegar a nossa região

Movimento está atualmente concentrado em Goiás. Liderança da categoria no Meio Oeste descarta paralisação.

Manifestação em maio no município de Joaçaba - Fonte: Arquivo Portal Éder Luiz

Durante esta semana, notícias davam informações de que uma nova manifestação dos caminhoneiros poderia ocorrer no Brasil. O motivo é o descumprimento da tabela do piso mínimo do frete, que os caminhoneiros entendem como uma falha da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). O movimento, por enquanto, ocorre apenas no estado de Goiás.

De acordo com o caminhoneiro Gilberto Bandeloff, uma das lideranças da região Meio Oeste, não existe nenhuma informação oficial. "A "greve" foi tema de uma reportagem publicada em uma revista de grande circulação nacional e outros veículos, se trata apenas de grande parte boato e uma pequena cogitação. Porque a classe continua pedindo o cumprimento de alguns acordos como é o caso da tabela mínima de fretes".

Em Goiás, alguns caminhoneiros fazem manifestação, porém não são proibidos de transitar. O que vem ocorrendo é uma fiscalização junto com a PRF do Goiás e a ANTT, para que a tabela seja respeita. A categoria pontua que se as empresas continuarem descumprindo o valor da tabela, é possível que mais localidades possam ter alguma manifestação.

De acordo com a categoria, na época da greve passada - em meados de maio deste ano, a tabela do frete foi feita às pressas, para encerrar a paralisação. Após um vai e vem de valores e cálculos, o governo federal fechou com um valor que valerá até janeiro de 2019.

Além da tabela, houve uma redução em 0,30 real no valor do litro do diesel para caminhoneiros. Com o cumprimento da tabela, o subsídio, que se encerra no dia 31 de dezembro, poderia ser extinguido.

Fonte:Paula Patussi com informações de Rádio Rural AM

Nenhum comentário:

Postar um comentário