terça-feira, 13 de novembro de 2018

Jovem cai no golpe do envelope vazio ao vender moto pela internet

Um jovem de 20 anos, morador de Ouro, foi vítima de um golpe de uma quadrilha e perdeu uma moto de trilha avaliada em R$ 13,5 mil. A ocorrência foi registrada na tarde desta segunda-feira (12) na Delegacia de Polícia Civil de Ouro.

Tudo começou no final de outubro quando o rapaz decidiu divulgar o veículo em um grupo de compra e vendas em determinada rede social. Entre tantos interessados esteve um morador do Rio Grande do Sul.

Em entrevista concedida com exclusividade à reportagem da Rádio Capinzal, a vítima disse que o contato foi estabelecido por meio de um aplciativo de celular, onde o suposto comprador solicitou mais detalhes da moto, como o valor, foto e a documentação. Durante a conversa o golpista repassou fotos de todos os seus documentos pessoais e, ao consultar na Delegacia, tudo levava a crer que seria uma pessoa honesta sem nenhum registro.

Uma semana depois do primeiro contato o meliante disse que já havia comprado outra moto que seria para o filho, mas o cunhado estaria interessado e que o mesmo iria entrar em contato. O que ocorreu no mesmo dia e, assim como o primeiro, repassou todos os dados pessoais e documentação, tudo normal.

Foram várias conversas até que o negócio foi fechado e o suposto comprador encaminhou um “print” da TED (Transferência Eletrônica Disponível) do banco, além do extrato de sua conta com a saída de R$ 13.500,00, valor acertado pela moto. Ao conferir em sua conta, o jovem tirou um extrato que indicava a entrada do valor.

O golpista contratou uma transportadora, que no domingo a noite esteve em Ouro para buscar o veículo. O funcionário da empresa disse que iria descansar para seguir viagem no dia seguinte, porém, o suposto comprador insistiu que queria a moto na mesma noite.

“Eu tinha pedido pra ele entregar a moto de manhã pra que eu pudesse ir ao banco e ter certeza que o dinheiro havia sido depositado, mas não foi o que aconteceu. O transportador contou que chegou em Caxias do Sul às 4h da manhã. Como não havia ninguém para pegar a moto, teve que dormir no veículo até às 8h, quando apareceu um mecânico, pagou o dinheiro combinado pelo frete e saiu andando com a moto”, contou o jovem.

Quando a agência bancária abriu, às 10h, o morador de Ouro foi surpreendido ao constatar que a TED era falsa, o depósito de R$ 13,5 mil do extrato foi feita em um envelope vazio.

A descoberta

Assim que percebeu que o dinheiro não estava na conta, o jovem entrou em contato com a mulher do “suposto comprador”, que revelou que ele havia sido vítima de uma quadrilha. Ela disse que diversas pessoas de Santa Catarina e Rio Grande do Sul ligaram cobrando, e até mesmo lhe ameaçando com o fato de que o marido não havia depositado o dinheiro do negócio.

A mulher informou que passaram pela mesma situação durante a venda de um trator, sendo que a quadrilha conseguiu todos os documentos da família e desde então usam os dados para fazer outras vítimas. A quadrilha seria do Paraná.

O jovem relatou a reportagem da Rádio Capinzal que depois de descoberto o esquema, os golpistas continuaram conversando com ele por meio do aplicativo de celular e, até mesmo, tirando saro, dizendo que não seria o primeiro a registrar um boletim de ocorrência. Chegaram a pedir R$ 7 mil para desenvolver a moto que ele adquiriu no começo do ano.

O caso será investigado.

Fonte: Jardel Martinazzo/Rádio Capinzal

Nenhum comentário:

Postar um comentário