quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Corpo é encontrado dentro de tonéis em um Rio no município de Curitibanos

(Foto: Polícia Civil)
Com ajuda do cão Hunter, o corpo de um homem foi achado pelos bombeiros a cinco metros de profundidade no Rio Marombas, em Curitibanos, na Serra, na tarde de quarta-feira (12). A Polícia Civil suspeita que a vítima seria um idoso de 61 anos, que desapareceu em maio. Exames preliminares da perícia realizada nesta quinta (13) indicam que a vítima morreu com um tiro na boca.

De acordo com as investigações da polícia o caso se trata de um homicídio, envolvendo a participação de quatro suspeitos. Dois estão presos temporariamente e os outros ainda estavam em liberdade.

Segundo os bombeiros, o homem estava dentro de dois tonéis, do tipo usado para armazenar óleo, presos por arames metálicos e com diversas perfurações. Com o corpo, foram colocadas ainda várias pedras para manter os tonéis no fundo do rio.

Pela aparência e avançado estado de decomposição, os bombeiros suspeitam que a vítima estivesse há vários meses no fundo do rio.

Por ser uma região rural e ampla, as buscas para encontrar o corpo envolveram equipes terrestre e de mergulhadores. Além disso, contou com o apoio do cão farejador Hunter, que auxiliou nos trabalhos e segundo a polícia foi o responsável por indicar o local onde estaria os tonéis.

Na manhã desta quinta, o corpo era submetido a necropsia e exames digitais devem ser feitos para identificar o homem, segundo a polícia.

Investigações

Dois dos quatro suspeitos estavam presos temporariamente antes de o corpo ser encontrado e outros dois anda estão em liberdade.

Durante as investigações e depoimentos dos presos foram indicados os possíveis locais de onde estaria o corpo e a partir disso foram feitas diversas buscas, de acordo com a delegada regional de Curitibanos, Roxane Fávero Pereira Venturi.

Ainda conforme a delegada, a suspeita é de que o corpo encontrado seja de Oldir Santo Digsasz, que foi visto pela última vez em 23 de maio. Ele tinha antecedentes por crimes como porte ilegal de arma, invasão de propriedade e lesão corporal em acidente de trânsito.

“Inicialmente, o caso foi registrado como desaparecimento, mas as investigações dos delegados Abel [Bovi] e Joelma [Stang] indicaram que se tratava de um homicídio. Há pelo menos quatro suspeitos. Temos três teses sobre o crime que poderão ser esclarecidas com as prisões dos outros dois presos que ainda faltam. As prisões temporárias dos dois primeiros devem ser convertidas em preventivas”, afirmou Roxane.

Outros detalhes, a polícia prefere não divulgar para não atrapalhar o andamento das investigações.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário