sexta-feira, 27 de abril de 2018

Polícia apreende computador no gabinete do deputado Valdir Cobalchini

COBALCHINI
A Policia Civil Estadual executou nesta quarta-feira (25) mandado de busca e apreensão no gabinete do deputado Valdir Cobalchini, do PMDB, e líder do governo na Assembleia Legislativa.
Levou um computador para investigar se procede a denúncia de que a falsificação de criminoso projeto em nome do deputado João Amin (PP) foi produzida no gabinete do parlamentar do PMDB. O gabinete conta com nove computadores.
O fato ocorreu quando Amin estava viajando no exterior. O projeto vale-se de uma proposta original do parlamentar, com colagem adicional caracterizando crime de falsidade ideológica e uso indevido da logística do parlamento.
Os policiais que estavam de posse de um mandado de busca e apreensão, pegaram um computador. De acordo com uma fonte, a ação faz parte das investigações sobre um falso projeto de lei atribuído ao deputado estadual João Amin (Progressistas), que assim que soube da “Fake News” via rede social, registrou um Boletim de Ocorrência.
Durante as investigações, foi solicitado ao setor de Informática da Alesc o IP, que é a identificação do computador. Os técnicos do parlamento informaram aos policiais o número e a qual gabinete pertencia, no caso, o de Cobalchini. Segundo eles, foi deste computador que foi acessado um projeto original de autoria de Amin, que teria dado origem à falsa matéria. Com essa informação, foi pedida a apreensão do equipamento, o Ministério Público concordou com a solicitação e o juiz Rafael Brüning expediu o mandado. Também de acordo com uma fonte, o computador seria de uso de um dos assessores de Valdir Cobalchini. Liguei para o parlamentar que não atendeu as chamadas.

Falso Projeto

O projeto falso que foi atribuído nas redes sociais ao deputado João Amin (Progressistas), prevê que os deputados estaduais teriam 15 dias de folga para prática de esporte, sem desconto dos subsídios, ou que poderiam ficar em casa com a família. Amin chegou a sofrer fortes críticas de pessoas que acreditaram que a proposta seria real.
O deputado Valdir Cobalchini disse que tem posição firmada sobre este episódio e conduzirá as investigações “com total transparência”.
— Torço para que servidor do gabinete não seja o responsável. Se houver prova e ficar caracterizada autoria tomarei as providências. Ele perderá a confiança e será punido – afirmou o parlamentar.
Fonte: SC em Pauta – Marcelo Lula e Moacir Pereira

Nenhum comentário:

Postar um comentário