quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

QUEDA DE AVIÃO QUE MATOU TEORI ZAVASCKI NÃO FOI INTENCIONAL, DIZ POLÍCIA FEDERAL

Fábio Motta/Estadão
Na manhã desta quarta-feira (10), a Polícia Federal (PF) apresentou à presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármem Lúcia, o resultado parcial das investigações sobre a queda de avião que resultou na morte do ministro Teori Zavascki e mais quatro pessoas em janeiro de 2017.

De acordo delegado Rubem Maleiner, responsável pelo inquérito, está descartada a possibilidade de sabotagem. Conforme o delegado, o motivo mais provável é de falha humana, com influência das condições meteorológicas.

O delegado explicou que a possibilidade de um ato intencional contra aquele voo foi bastante explorada, em diversos exames periciais e atos investigatórios diversos, e nenhum elemento neste sentido foi encontrado. Pelo contrário, os elementos que atingimos até agora conduzem a um desfecho não intencional e trágico.

Conforme Maleiner, a investigação está em andamento, e que todos os apontamentos são provisórios. Ainda segundo o delegado, não foi estipulado prazo para a conclusão da investigação, mas disse que está “em um estágio bastante avançado”.  Para fechar o relatório, ainda são aguardados outros resultados periciais. Até agora, o trabalho da PF aponta para falha humana, somada a condições meteorológicas desfavoráveis.

O delegado explicou que “há um conjunto de fatores que dizem respeito às condições meteorológicas, às trajetórias e às alturas desempenhadas pelo piloto naquela tentativa de aproximação para Paraty, e o cotejo disso com regras de tráfego aéreo”. A queda da aeronave que matou Teori e mais quatro pessoas ocorreu em 19 de janeiro, no mar de Paraty (RJ). Na época, o ministro era o responsável pelos processos da Lava-Jato no STF. 

Fonte: ClicRDC

Nenhum comentário:

Postar um comentário