quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Agricultores catarinenses investem na produção de silagem

Foto: Silagem - Créditos: Divulgação/Epagri
A produção de silagem é a nova aposta dos agricultores catarinenses. Para acompanhar um setor leiteiro em constante crescimento, os produtores rurais ampliam a área destinada ao cultivo de milho silagem e investem na produtividade. Só na última safra foram produzidos 9,5 milhões de toneladas de milho silagem, 14,39% a mais do que na safra 2015/16, e a expectativa é de que a próxima colheita seja ainda maior. 

O grande destaque na produção de silagem está nas regiões de Chapecó e São Miguel do Oeste, que juntas somam em torno de 105 mil hectares de área plantada - 48% do total do estado – e mais de 4,5 milhões de toneladas colhidas na última safra. Como a produção de silagem e a de leite andam juntas, as regiões também são referências na pecuária leiteira. Chapecó e São Miguel do Oeste são as maiores produtoras de leite do estado, com forte expansão nos últimos anos, participando com aproximadamente 30% de toda a produção catarinense

A Secretaria da Agricultura e da Pesca tem uma grande participação nesse incremento. Boa parte das sementes disponibilizadas pelo Programa Terra-Boa é destinada ao plantio de milho silagem, em especial pelos pequenos produtores.

participação das sementes disponibilizadas pela Secretaria da Agricultura do Estado, por intermédio do programa Terra Boa alcança 220 mil sacas por ano, sendo que, o maior volume destas é destinado ao plantio de milho silagem, em especial pequenos produtores. Este ano o Programa tem recursos de R$ 50,9 milhões para atender 70 mil agricultores com apoio para aquisição de sementes de milho, calcário, kit forrageira e kit apicultura.

MILHO GRÃO

Os agricultores catarinenses devem destinar 318 mil hectares ao plantio de milho grão na safra 2017/18 – 12% a menos do que na última safa. Por conta disso, a produção também ficará menor, em torno de 2,6 milhões de toneladas – 16,5% menor do que na safra 2016/17. Essa tendência é observada também nos outros estados do Sul: o Paraná já anuncia uma diminuição de 33% na área cultivada de milho e o Rio Grande do Sul espera 23% de queda.

A produção de milho silagem teve, inclusive, uma grande participação na redução da área plantada de milho grão no estado.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário