quinta-feira, 27 de julho de 2017

Mulher pede R$ 10 mil após conseguir imagens íntimas de rapaz

Foto:Imagem ilustrativa
 
Um morador de Concórdia registrou um Boletim de Ocorrência na Delegacia relatando que foi vítima de tentativa de extorsão. Segundo a vítima, que prefere não se identificar, uma mulher ameaçou publicar na internet imagens íntimas dele. O fato foi registrado nesta quinta-feira, dia 27. Ela pediu R$ 10 mil para não divulgar as imagens.

O homem conta que uma mulher lhe enviou convite no Facebook. Ele aceitou e em seguida eles iniciaram um bate-papo através da rede social. A mulher seria bonita e pedia para que os dois utilizassem o vídeo. Ainda segundo o relato, durante a conversa a golpista tirou a roupa diante da câmara para seduzir o internauta, e pediu que ele fizesse o mesmo. O detalhe é que ela gravou o “bate-papo”. Com as imagens do rosto e de partes íntimas do homem, já salvas, a mulher pediu um depósito de R$ 10 mil para não publicar.

O homem contou também que não chegou a se encontrar pessoalmente com a mulher e não depositou nenhum valor. Ele diz que acredita que uma das imagens pode ter sido divulgada, pois uma amiga entrou em contato dizendo que viu fotos circulando na rede.

O advogado e especialista em Direito Digital, Fernando Mangold, explica que é preciso ter cuidado ao fazer amizades pela internet. “Em primeiro lugar, não devemos aceitar em nossas redes sociais pessoas que não conhecemos, pois não sabemos exatamente quem está por trás da tela e quais são as intenções. É fácil criar um perfil, pois a pessoas informa os dados que quiser, pode usar nome, idade e fotos falsos”, ressalta. “Não é preciso apresentar documentos para criar um perfil”, destaca Mangold.

O especialista também comenta que, nestes casos, as pessoas devem procurar a polícia. “Você não tem uma garantia de que vai pagar e a pessoa não vai divulgar a imagem. A orientação é procurar a Polícia e registrar”, afirma ele. “Muitas vítimas não fazem isso para não se expor. Os policiais, e delegacias com equipamentos que permitam uma investigação destes casos, podem conseguir chegar aos autores da tentativa de extorsão. Existem meios de rastrear, através do provedor e IPs”, conta Mangold.

Caso parecido e prisão:

A Divisão de Investigação Criminal (DIC) prendeu em flagrante na terça-feira (25) duas irmãs suspeitas da prática de extorsão, em Videira. Elas possuíam vídeos de um rapaz e pediam dinheiro para não publicarem nas redes sociais.

Fonte: Cristiano Mortari/Rádio Aliança

Nenhum comentário:

Postar um comentário