quarta-feira, 26 de julho de 2017

Jurados entendem que a morte de MAYARA PARIZE foi apenas um “acidente de trânsito”

Fotos: Divulgação
Foi realizado durante a última sexta-feira (21), o julgamento de João Maria de Oliveira, acusado de ter praticado crime de homicídio na data de 05/07/2012 que resultou na morte de Mayara Isabela Parize na época com 19 anos.

Segundo relatório da ocorrência registrada no dia do acidente que aconteceu por volta das 13 horas, o automóvel que era conduzido por João Maria, seguia na contramão após uma tentativa de ultrapassagem em local não permitido vindo a colidir de frente com a motocicleta de Maiara Izabela Parize que se deslocava para o trabalho, não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

João Maria realizou o teste de bafômetro, que comprovou que o mesmo dirigia embriagado seu veículo e sem CNH-Carteira Nacional de Habilitação. Mesmo sendo caracterizados pelo menos três crimes durante o acidente, sendo eles: Dirigir sob influência de álcool; Não possuir licença para dirigir e tentativa de ultrapassagem em local proibido, o Corpo de Jurados reconheceu a autoria do Réu e o condenou a 3 três anos de Prisão a serem cumpridos em Regime Aberto.

A família de MAYARA PARIZE, ainda inconformada com o entendimento adotado pelo Conselho de Sentença do Tribunal do Júri da Comarca de Campos Novos, na última sexta-feira (21), manifestou-se à imprensa e à sociedade Camponovense por meio de nota em rede social, a fim de demonstrar sua opinião quanto ao resultado do processo.

Fonte: Simpatia FM

Nenhum comentário:

Postar um comentário