segunda-feira, 10 de abril de 2017

Vigilância Sanitária orienta para o consumo de pescados

Foto:Imagem ilustrativa
A Sexta-Feira Santa se aproxima e, pela tradição, o consumo de pescados aumenta nesta época. Por isso, a Diretoria de Vigilância Sanitária do Estado de Santa Catarina divulga algumas orientações importantes para que o consumidor não se exponha a riscos.

Peixe Fresco: deve estar livre de contaminantes físicos (areia, pedaços de metais, plásticos e/ou poeira), químicos (combustíveis, sabão e/ou detergentes) e biológicos (bactérias, vírus e/ou moscas):

• Aparência: ausência de manchas, perfurações ou cortes na superfície;
• Escamas: devem estar bem firmes e resistentes, translúcidas (parcialmente transparentes) e brilhantes;
• Pele: úmida, firme e bem aderida;
• Olhos: devem ocupar toda a cavidade, estar brilhantes e salientes, sem a presença de pontos brancos ao centro do olho;
• Membrana que reveste a guelra (opérculo): rígida, deve oferecer resistência a sua abertura. A face interna deve estar brilhante e os vasos sanguíneos, cheios e fixos.
• Brânquias: devem se apresentar de cor rosa ao vermelho intenso, úmidas e brilhantes; deve haver ausência ou discreta presença de muco (líquido pastoso);
• Abdômen: aderidos aos ossos fortemente e de elasticidade marcante;
• Odor, sabor e cor: característicos da espécie que se trata;
• Conservação: deve ser mantido sob refrigeração.

Logo após comprar o pescado, o ideal é que o transporte seja realizado sob refrigeração (caixas isotérmicas com gelo) até o domicílio, ou caso não seja possível, transporte-o de forma rápida e acondicione sob refrigeração até o momento do preparo para consumo.

Bacalhau e Pescado Salgado

Na hora de comprar o bacalhau é preciso estar atento a algumas dicas:
- o produto deve estar armazenado em local limpo, protegido de poeira e insetos;
- verifique se não há a presença de mofo, ovos ou larvas de moscas, manchas escuras ou avermelhadas, limosidade superficial, amolecimento e odor desagradável, que são indicativos de que o produto não está bom para consumo.

Crustáceos

Para o consumo de crustáceos a orientação é que tenham:

• Aspecto: geral brilhante, úmido; corpo em curvatura natural, rígida, patas firmes e resistentes; pernas inteiras e firmes; carapaça bem aderente ao corpo, olhos vivos e destacados;
• Coloração: própria à espécie, sem qualquer pigmentação estranha; não apresentar coloração alaranjada ou negra na carapaça.

Moluscos

• Aspecto: devem ser expostos à venda vivos, com valvas fechadas e com retenção de água incolor e límpida nas conchas;
• Cheiro: agradável e pronunciado;
• Carne: úmida, bem aderente à concha, de aspecto esponjoso, de cor acinzentada-clara nas ostras e amarelada nos mexilhões.

Lula e polvo

• Aspecto: devem ter a pele lisa e úmida; olhos vivos e salientes.
• Carne: consistente e elástica.
• Cheiro: próprio (levemente adocicado).
• Coloração: ausência de qualquer pigmentação estranha à espécie.

Fonte: Assessoria de Comunicação

Nenhum comentário:

Postar um comentário