segunda-feira, 17 de abril de 2017

Liminar estabelece prazo para Estado realizar videolaparoscopia

Foto:Imagem ilustrativa/Internet
O Estado de Santa Catarina tem o prazo de 12 meses, contados a partir do pedido médico, para viabilizar o exame de videolaparoscopia a todos pacientes que estão em lista de espera. O prazo foi estabelecido em medida liminar obtida pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) em ação civil pública.

A ação foi ajuizada em janeiro de 2017 pela 6ª Promotoria de Justiça da Comarca de Balneário Camboriú. Na ação, o Promotor de Justiça Rosan da Rocha afirma que o acesso à saúde é um direito constitucional que integra a dignidade do ser humano e se afigura como uma das condições indispensáveis à construção de uma sociedade livre, justa e solidária.

De acordo com o Promotor de Justiça, a ação foi ajuizada após inquérito civil que apurou o caso de uma paciente que aguarda a realização do procedimento de videolaparoscopia. Atualmente ela se encontra na posição 239 da fila de espera da Maternidade Carmela Dutra, em Florianópolis. O Atendimento tem previsão inicial somente em junho de 2019. Outros pacientes também se encontram na mesma situação.

A medida liminar não se limita a apenas um paciente, mas define que o Estado de Santa Catarina deve atender, respeitando as prioridades e emergências, todos os que aguardam o procedimento, com prazo máximo de 12 meses a partir do pedido do exame. A decisão é passível de recurso.

Videolaparoscopia

A videolaparoscopia é uma cirurgia minimamente invasiva e pode ser indicada para mulheres que sofrem de endometriose, doença caracterizada pela presença do endométrio – camada que reveste o útero e é eliminada na menstruação -fora da cavidade uterina, prejudicando o funcionamento do sistema reprodutor feminino e de outros órgãos. Essa intervenção cirúrgica pode ser realizada em pacientes nas quais o tratamento hormonal convencional não promoveu melhora de sintomas de maneira efetiva. Ela também pode ser realizada para identificar e eliminar os focos de endometriose, reduzindo sintomas e aumentando a chance de engravidar, além de preservar orgãos que podem ser danificados com a progressão da doença

Fonte: Coordenadoria de Comunicação Social do MPSC

Nenhum comentário:

Postar um comentário