segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Bandidos roubaram o carro e jogaram jovem de Capinzal da ponte

Foto:Bandidos foram apresentados pela polícia
Jaison Azevedo, 19 anos, foi abordado por três bandidos na noite da última quinta-feira (19), quando deixou a BRF de Capinzal próximo a meia noite para buscar atendimento médico, por não estar se sentindo bem. O corpo do jovem foi encontrado por pescadores na manhã do sábado (21), próximo a barragem do bairro Estação Luzerna, em Herval d´Oeste.

As informações do desfecho do crime foram repassadas em entrevista coletiva com a imprensa na tarde deste domingo (22) na Delegacia de Joaçaba. De acordo com o delegado regional, Daniel Régis, a vítima parou o carro para dar carona, por conhecer os indivíduos.  “Os marginais anunciaram o assalto, ao que tudo indica asfixiaram o menino, depois trouxeram ele para cá e o jogaram da Ponte da Amizade”, detalhou Régis. O laudo pericial apontou que a vítima morreu por afogamento.

O latrocínio (roubo seguido de morte) foi desvendado depois que a polícia recebeu a informação que o veículo da vítima estaria em Chapecó. “Durante 31 horas ininterruptas, os policiais Maneco, Pedrini, Weiss e André Rodrigues, não pararam de fazer os levantamentos até que tivéssemos o mínimo de informações para representar pelo mandato de busca e prisão, que foi expedido pelo judiciário de Herval d´Oeste ainda na madrugada deste domingo”, informou o delegado.

A equipe de policiais se deslocou a Chapecó, onde localizou o luzernense José Carlos dos Santos, 34 anos, que trocou o carro por 1kg de maconha, que foi dividida entre os três elementos de Capinzal (Welinton Urmann Tavares, 19 anos, Lucas de Almeida, 23 anos, e Flávio Pereira da Silva, 23 anos), que cometeram o crime contra Jaison. “Durante a manhã de hoje deflagramos a operação para prender os três envolvidos. Infelizmente a droga não foi localizada, obviamente que eles mentem na hora de comprovar a materialidade e se acusam entre sí. Dizem que conheciam a vítima, explicam como foi a abordagem dentro do carro. A única coisa que não fica clara é quem fez a esganadura, que fez o menino desfalecer, mas os três retiraram o corpo do carro e atiraram da ponte”, afirma Daniel Regis.

Quanto ao luzernense José Carlos, o delegado disse que o fato dele ele não ter jogado o corpo no rio não exime sua participação no crime. “Na minha concepção ele aderiu a conduta e será indiciado”.

“É um crime bárbaro, inclusive dois dos bandidos iriam ao velório da vítima, não demonstrando nenhum arrependimento. Confessaram porque foram confrontados com elementos de prova absolutamente irrefutáveis”, avaliou o delegado regional, ao comentar que não há nada que se possa fazer em relação a família. “Penso que pelo menos esse conforto eles terão. Que os marginais que tiraram a vida deste menino, que não fez mal a ninguém e não tinha nenhum tipo de envolvimento com qualquer um deles, serão punidos”, concluiu.

Todos os quatro possuem passagens pela polícia. José Carlos já foi condenado por tráfico de drogas.











Confira abaixo parte da entrevista:


Fonte: Caco da Rosa

Nenhum comentário:

Postar um comentário