sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Do mesmo Jeito

Deinfra ainda estuda alternativas para solucionar deslizamento de encosta na SC-303 em Lacerdópolis. Obra poderá custar mais de R$ 300 mil



O Deinfra (Departamento Estadual de Infraestrutura) ainda não encontrou uma solução para o deslizamento de rocha que ocorreu a cerca de dois meses, na SC-303 em Lacerdópolis. De lá para cá, o trânsito continua em meia-pista e, os engenheiros e técnicos analisam o que poderá ser feito para recuperar a encosta. 

Nesta semana, o engenheiro Euclides Albuquerque informou que a obra de reparo a ser executada no local é complexa e difícil de ser executada. “O deslizamento que ocorreu foi de rochas, já que no terreno do local predomina laje. Uma empresa especializada neste tipo de obra deverá ser contratada”. 

O engenheiro informou também que a principio seriam necessários investimentos na ordem de R$ 300 mil para resolver o problema. O Deinfra de Joaçaba aguarda posicionamento do órgão em Florianópolis, que deve ocorrer segundo Albuquerque até a segunda semana de janeiro.

Relembre

A queda de barreira ocorreu na noite de terça-feira 18 de novembro, interditando um trecho da SC-303, em Lacerdópolis. A pista foi fechada para a remoção da grande quantidade de terra, pedras e árvores que invadiram a rodovia. Conforme o superintendente do Deinfra em Joaçaba, Dagoberto Primo, a rodovia foi implantada há mais de 30 anos, e não havia sido detectado nenhum risco eminente no local. Segundo ele uma licitação será realizada nos próximos meses para que uma empresa especializada realize os trabalhos de recuperação do local. “Até lá o Deinfra trabalha no projeto de construção de outra pista ao longo do acostamento com cerca de 3,5 metros para que o tráfego volte ao normal”, explica. 

Primo destaca ainda que com existe uma solução para restabelecer a segurança no local. “O terreno é instável, e estudamos a hipótese de fixação de telas de aço e a realização de concretagem. Esta é apenas uma suposição, e também de alto custo”, salienta. Outro problema no local é a falta de sinalização. Muitas placas encontram-se em situação precária, algumas foram danificadas devido ao grande tráfego de caminhões e carros, que passam muito próximos do acostamento. De acordo com o superintendente do Deinfra, muitas placas vêm sendo depredadas por vândalos. “Faremos contato com a empresa responsável pela manutenção do local, para que refaça a troca das placas indicativas, que são de suma importância para a segurança de quem trafega pela SC 303”, conclui.




Fonte: Paula Patussi - Jornal Diário do Vale

Nenhum comentário:

Postar um comentário