quinta-feira, 26 de maio de 2011

Caso Coperio - Polícia conclui um dos inquéritos

Dificuldade de produzir provas faz com que ninguém seja indiciado



O Ministério Público de Joaçaba deverá receber nos próximos dias o primeiro inquérito sobre as suspeitas de desvios financeiros na Cooperativa Rio do Peixe. A Coperio representou criminalmente os investigados.

Existem dois inquéritos nas mãos da Polícia Civil, eles investigam o ex-vice presidente da cooperativa, Geraldo Ferronato e sua sobrinha, também ex-funcionária. É este último que já está concluído. Ao todo 15 pessoas foram ouvidas.

O Delegado Regional de Polícia, Ademir Tadeu de Oliveira, é o responsável pelas investigações. Dr. Ademir informou em primeira mão ao ederluiz.com que neste primeiro inquérito que será encaminhado ao MP, se tentou descobrir a origem de um depósito virtual feito no dia 5 de outubro de 2010, quando os investigados foram demitidos pela cooperativa. Na data dos fatos, o computador de uma funcionária, que não constava da investigação preliminar, foi usado para ser feito o lançamento da ordem de mais de R$ 400 mil. O valor foi destinado para uma empresa credora da Coperio. O furo no caixa só foi detectado um mês depois, após a realização de uma auditoria interna.

A Polícia conseguiu identificar o horário do lançamento, o computador, e que no exato momento em que o lançamento foi feito todos estavam fora de suas salas na ginástica laboral. Uma das dificuldades da investigação é que não existem câmeras internas de monitoramento, o que dificulta muito a identificação do autor, ou autora.

Diante das dificuldades da investigação e complexidade, o delegado conclui o inquérito e encaminha sem indiciar qualquer pessoa. “Enviarei o inquérito para apreciação do Ministério Público para que decida se outras diligências são necessárias”. Informou o delegado.

Na conclusão do processo Dr. Ademir ainda frisa a dificuldade para se produzir provas que incriminem alguém.

Até agora ainda não foi possível apurar qual o tamanho da dívida da cooperativa, mas a suspeita da polícia é que todos os problemas tenham se originado na aquisição de uma empresa pela Coperio. Pelos depoimentos colhidos até agora, o que se entende é que foi á partir desta negociação que surgiram os problemas de caixa.

O delegado deixa claro na conclusão do primeiro inquérito que “O sucesso, ou o fracasso de uma instituição como a Coperio, depende da gestão de seus dirigentes e conselheiros”. E manifesta a preocupação com o futuro da cooperativa que empresta o nome a Joaçaba e a toda a região.

O outro inquérito, que trata sobre o ex-vice presidente, está em fase de conclusão. Na investigação são apurados possíveis desvios, vantagens, apropriação indevida, entre outros crimes.
Fonte: ederluiz.com 

Nenhum comentário:

Postar um comentário