quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Policiais confirmam que cadeirinha salvou vida de criança em acidente entre Erval Velho e HO

“Carro ficou totalmente destruído. Quase 6 meses depois da implantação da lei que obriga o uso do equipamento de segurança um estatística de morte a menos”
 

Um grave acidente na tarde de segunda-feira, dia 14, entre Erval Velho e Herval d´Oeste – na BR-282, próximo ao Hotel Maicon – envolvendo um caminhão e um veículo Audi poderia ter tido um desfecho ainda pior se não fosse um equipamento simples que salvou a vida de uma criança de 2 anos de idade.
O carro onde a criança estava ficou com a frente totalmente destruída. A caroneira saiu com escoriações no ombro direito e o condutor com ferimentos na face e no ombro. A criança de 2 anos estava acomodada na cadeirinha de segurança. Os policiais rodoviários que atenderam a ocorrência foram enfáticos em constatar que o equipamento não só salvou a vida do menor como também fez com que saísse totalmente ileso – sem nenhum aranhão.
Estudos americanos demonstraram que o uso dos assentos de segurança, reduzem em 71% o número de mortes em bebês de colo e em 54% as mortes entre crianças de 1 a 3 anos, em casos de acidentes automobilísticos. Nos 50% das mortes com crianças com menos de 5 anos, verificou-se a falta do dispositivo de segurança.
Segundo especialistas na área, "quando a criança esta dentro de um carro em movimento, tanto ela, quanto o veículo, se movem à mesma velocidade. Mas se o carro para de repente à criança é lançada para frente porque continua a mover-se, mais ou menos a mesma velocidade que tinha o carro no momento do impacto. Assim, a cabeça e o tórax da criança batem contra o que estiver á sua frente, por exemplo, o encosto dos bancos dianteiros ou o painel e o pára-brisa".
Outro fato a ser ponderado é que a criança, com o impacto do acidente pode ser arremessada para fora do automóvel, se o vidro estiver aberto. É de se lembrar que segurar a criança no colo, mesmo no banco traseiro, não é uma boa idéia já que em um acidente, uma criança de 20 kilos representa uma força de quase uma tonelada nos braços de quem a estiver segurando.
Os cintos de segurança integrantes dos veículos são grandes e impróprios para bebês e crianças pequenas, que devem ser transportadas no banco traseiro junto à cadeirinha que devem conter de preferência, o cinto de três pontos. A não utilização desse equipamento é considerada infração gravíssima pelo Código Nacional de Transito. Há três tipos de assentos de segurança: Conchinhas: recomendada para crianças de até 9 meses ou até cerca de 10 Kilos , Reversíveis: para crianças de 9 meses a 4 anos ou entre 10 e 20 kilos e Assentos elevatórios: para crianças de 4 a 12 anos ou de até 1,45 m.
 
fONTE: INFORMAOESTE + pauta

Nenhum comentário:

Postar um comentário