quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Dilma anuncia o envio de R$ 40 milhões para Santa Catarina para ajuda emergencial

No Estado, 60 cidades tiveram de decretar situação de emergência por causa das chuvas



Em uma reunião de pouco mais de cinco minutos no Palácio do Planalto, Dilma pediu informações sobre os desastres provocados pelas chuvas, anunciou o envio do dinheiro e disse que pretende visitar o Estado, embora não tenha confirmado uma data para a viagem.

A audiência com a presidente ocorreu no início da noite de quarta, após uma romaria de Colombo por ministérios e órgãos federais. Por volta das 19h, o governador foi recebido pelo ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, a quem apresentou um diagnóstico da situação nas cidades atingidas por enchentes. Após ouvir o relato de Colombo, Palocci levou o governador até o gabinete presidencial.

Na conversa com Dilma, ficou acertado que o Ministério da Integração Nacional irá destinar R$ 30 milhões ao Estado. Outros R$ 10 milhões serão remetidos pelo Ministério dos Transportes. Em contrapartida, Colombo se comprometeu em liberar mais R$ 20 milhões do caixa estadual para reforçar as ações emergenciais.

— Estamos satisfeitos e agradecidos. É um momento importante para Santa Catarina e vai nos ajudar a enfrentar essa calamidade — comemorou o governador.

Antes da reunião com Dilma, Colombo havia pedido R$ 100 milhões ao ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho. O próprio governador, contudo, admitia a expectativa de que não conseguiria a totalidade do dinheiro pedido. Colombo agendou para amanhã uma visita do ministro ao Estado. Juntos, o governador e Bezerra vão sobrevoar áreas atingidas.

— Vamos observar os estragos. Recebi a recomendação da presidente Dilma para levar solidariedade e apoio financeiro aos atingidos pelas chuvas. O nosso compromisso é de oferecer uma resposta — afirmou o ministro.

Bezerra deve chegar em Florianópolis nesta quinta às 14h30min. Em seguida, ele visita os municípios de Jaraguá do Sul e Mirim Doce, este último em estado de calamidade pública. Na ocasião, o ministro irá anunciar o valor dos recursos que serão repassados pelo governo federal.

Ao lado de prefeitos e secretários, Colombo percorreu quatro ministérios para mostrar o alcance dos desastres no Estado. Em cada gabinete, exibia um amplo relatório sobre a ação das chuvas em Santa Catarina. Embora o balanço preliminar aponte prejuízos de R$ 413 milhões, o coordenador da Defesa Civil no Estado, major Márcio Alves, estima que sejam necessários R$ 1 bilhão para recuperar todos os estragos causados pelas enxurradas.

— São mais de 907 mil pessoas atingidas. As encostas estão instáveis e há riscos de novos desmoronamentos por causa do solo encharcado — diagnosticou Alves.

Uma das medidas que devem ser anunciadas amanhã pelo governo federal é a liberação de R$ 1,7 milhão para as obras nos molhes do Rio Itapocu, em Barra Velha.

O dinheiro já foi empenhado e, segundo a ministra da Pesca, Ideli Salvatti, que participou da audiência com Colombo na Integração Nacional, é suficiente para a conclusão do braço sul dos molhes.
— Esta é uma obra estratégica para evitar novas tragédias, pois sem ela não podemos fazer a dragagem do rio, que fica represado e causa inundações em todo o Vale do Itapocu — resumiu Ideli, que participou das audiências com Dilma e Bezerra.

DIARIO.COM.BR

Nenhum comentário:

Postar um comentário