sexta-feira, 27 de março de 2020

Coronavírus em Santa Catarina: estado chega a 163 casos confirmados em duas semanas

Santa Catarina atinge a marca de 163 casos confirmados do novo coronavírus nesta sexta-feira (27), informou o governo do Estado em coletiva de imprensa. São 33 municípios com pessoas positivadas para a doença em todas as regiões de SC. É Florianópolis a cidade com o número mais alto infectados, com 27 confirmações, seguida de Itajaí, com 18.  

Fazem duas semanas, exatamente, do primeiro registro em território catarinense e, nesse período, o dia que apresentou a menor taxa de novos contaminados foi esta sexta-feira, divulgou o governador Carlos Moisés da Silva (PSL):

- A taxa de exames positivados de ontem para hoje é de 9% desde início da contagem. Não é galopante, é natural que cresça, que seja geométrica. 

Moisés disse que o Estado vai completar a primeira quinzena em quarentena para mensurar, então, o resultado do decreto que declarou situação de emergência em Santa Catarina, no dia 18 de março, como uma tentativa de baixar a curva no no estado:

- A maioria de nós será infectada pelo vírus, é inevitável e impossível. O que queremos é retardar o contágio em massa, para que a gente ganhe tempo para tentar se preparar para o enfrentamento à pandemia. Sabemos que pessoas irão morrer. Nenhum outro estado ou país conseguiu se preparar até agora. O que a gente quer é dar sobrevida para mais pessoas - disse.

Cidades com casos confirmados de coronavírus em SC

Florianópolis 27
Itajaí 18
Blumenau 12
Criciúma 12
Balneário Camboriú 9
Braço do Norte 9
Tubarão 8
Joinville 8
São José 8
Imbituba 5
Camboriú 4
Chapecó 4
Gravatal 3
Porto Belo 3
Navegantes 3
Jaguaruna 2
Jaraguá do Sul 2
Rancho Queimado 2
Siderópolis 2
Antônio Carlos 1
Arroio do Silva 1
Canelinha 1
Gaspar 1
Içara 1
Itapema 1
Lages 1
Laguna 1
Pomerode 1
São Lourenço do Sul 1
São Ludgero 1
São Pedro de Alcântara 1
Tijucas 1
Timbé do Sul 1
Outros estados 5
Outros países 3

Fonte:NSC

Itália registra 969 mortes nas últimas 24h. Total chega a 9.134 nesta sexta (27)

A Itália registrou 969 mortes pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, um recorde em qualquer país desde que a pandemia começou no final de dezembro na China. Com os novos óbitos, o total de falecimentos no país alcançou 9.134 nesta sexta-feira, dia 27.

Mais de 500 das mortes registradas no último dia aconteceram na Lombardia, região no norte do país que é o epicentro da Covid-19 na Itália. Ao todo, a nação tem 80.589 casos de contágio pelo vírus.

Antes desta sexta, o recorde de mortes no país aconteceu em 21 de março, quando 793 pessoas haviam morrido. Entre os óbitos anunciados hoje, contudo, estão 50 pessoas que morreram na quinta-feira, dia 26, na região do Piemonte, que só foram contabilizadas agora. 

O recorde no número de óbitos foi batido pouco depois do chefe do Instituto Superior de Saúde do país, Silvio Brusaferro, anunciar que as infecções pelo novo coronavírus na Itália ainda não atingiram seu pico. 

Com informações da Revista Veja.

Recuo no isolamento anunciado por Moisés causa apreensão na área da saúde

O recuo nas medidas de isolamento social adotadas em Santa Catarina no combate ao novo coronavírus, comunicado pelo governador Carlos Moisés nesta quinta-feira (26) em um plano de retomada da economia, foi recebido com apreensão por entidades de saúde do Estado.

Entre as medidas anunciadas, estão a liberação para funcionamento de shoppings, bares, restaurantes, comércio em geral e outros serviços não essenciais a partir do dia 1º de abril. O transporte coletivo de ônibus, porém, continuará suspenso.

O presidente da Associação Catarinense de Medicina (ACM), Ademar José de Oliveira Paes Junior, afirma que ainda não é possível compreender a evolução e a velocidade dos casos de coronavírus em Santa Catarina e que, portanto, seria mais prudente manter as medidas adotadas até o momento. 

— É totalmente incerto o padrão do comportamento da doença. Pode ser que até o dia 1º de abril a gente tenha um crescimento de casos que inviabilize o retorno das atividades. Nós entendemos a preocupação de todos os setores, mas enquanto entidade médica a gente foca na questão de saúde e de preservação da vida, independentemente da faixa etária ou da camada social — afirma.

O médico acrescenta que uma possível explosão de casos poderia provocar um colapso no sistema de saúde catarinense:

 As informações que temos recebido é que não teremos recursos suficientes para atender toda a demanda de um crescimento de casos da doença, nem na rede pública nem na rede privada. Então essa é uma das grandes preocupações  
Ademar José de Oliveira Paes Junior, presidente da Associação Catarinense de Medicina
As medidas anunciadas também foram recebidas com apreensão pela presidente do Conselho Regional de Enfermagem (Coren-SC), Helga Bresciani.

Nos causa apreensão essa medida, porque o que nós vimos no restante do mundo foi que, ao não tomar os cuidados essenciais, o vírus se propagou muito rápido e os países tiveram que voltar ao isolamento. A gente não sabe se o que foi previsto pela Secretaria de Saúde em termos de estrutura vai dar conta, principalmente depois da liberação 
Helga Bresciani, presidente do Conselho Regional de Enfermagem
A presidente do Coren-SC comenta que outra preocupação é sobre a contaminação dos profissionais da área, o que poderia dificultar ainda mais o trabalho diante do provável aumento de casos da doença nas próximas semanas, previsto inclusive pelo próprio governo catarinense.

— Por isso também a nossa preocupação para que o governo faça uma previsão de aumento de profissionais, além da capacitação adequada dos mesmos e a disponibilização dos equipamentos necessários para evitar que eles se contaminem. Temos recebido denúncias de profissionais sobre falta desses equipamentos de proteção em alguns locais. 

Mais uma semana
O médico e professor Aroldo Prohmann de Carvalho, infectologista pediatra e coordenador do curso de Medicina da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), considera que, com mais pessoas na rua, é evidente que haverá uma contaminação maior pela doença, o que poderá colocar em risco a possível diminuição conquistada com a quarentena até o momento.

Na minha opinião pessoal, manter as restrições atuais por mais uma semana seria mais prudente. A preocupação que a gente tem é que, ao liberar, as pessoas comecem a exagerar no contato social e a perder um pouco essa responsabilidade que assumiram nesses dias 
Aroldo Prohmann de Carvalho, infectologista e coordenador do curso de Medicina da UFSC
Mudança de postura
O anúncio de Moisés representou uma mudança da postura do governo catarinense no enfrentamento da crise - Santa Catarina foi primeiro estado brasileiro a adotar medidas drásticas de restrição, iniciadas há pouco mais de uma semana.

Ele ocorre após pressão da classe empresarial e de críticas do presidente Jair Bolsonaro, que tem se manifestado contrário a medidas de isolamento adotadas pelos governadores alegando que isso prejudicará a economia do país.

A flexibilização do isolamento anunciada por Moisés foi criticada pelo governador do Rio Grande do Sul nesta sexta e também gerou repercussão na internet. A hashtag 'SCNaoQuerMorrer' entrou nos trending topics da rede social durante a manhã.

Em Santa Catarina, até o momento são 149 casos confirmados de coronavírus, outros 325 suspeitos e uma morte pela doença, segundo a última atualização da Secretaria de Saúde do Estado, feita na noite desta quinta (26).

Fonte: NSC.

PRF escolta desde o Paraná carga de 15 milhões de luvas cirúrgicas que serão usadas em SC


Policiais rodoviários federais do NOE (Núcleo de Operações Especiais) escoltaram na tarde e noite de hoje (quinta), uma carreta com 15 milhões de luvas cirúrgicas que serão usadas no combate ao Coronavírus.

A carga é avaliada em R$ 2 milhões. Além do valor financeiro, este tipo de mercadoria atualmente está muito cobiçada por bandidos devido ao momento de pandemia.

A carreta saiu da fábrica em Pinhais/PR e seguiu pela BR 101 até Florianópolis, onde foi descarregada no Centro de Ensino da Polícia Militar no bairro Trindade.

 As luvas estão à disposição da Secretaria da Saúde de SC, que vai distribui-las aos profissionais do sistema estadual de saúde e das forças de segurança.




Fonte:Nucom PRF

Estiagem impacta na produção de leite em Santa Catarina

A falta de chuva em Santa Catarina tem agravado a situação dos produtores de leite e reduzido a produção no Estado. O alerta é do vice-presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc), Enori Barbieri. Segundo ele, desde agosto do ano passado, quando o dólar ultrapassou os R$ 4,00, o aumento da exportação de milho se acelerou, ocasionando a diminuição da oferta e o aumento dos preços do cereal no mercado interno, o que também elevou os custos de produção com o uso de ração na alimentação do rebanho.

         Outro agravante citado por Barbieri foi a seca de novembro e dezembro em Santa Catarina que dizimou 40% das lavouras de milho destinadas à produção de silagem. Com o preço do leite estagnado entre R$ 1,20 e R$ 1,30 por quase dois anos, os produtores viram seus custos se elevarem consideravelmente.

A estiagem deste ano, iniciada em fevereiro e com previsão de se estender até a segunda quinzena de abril, agrava a situação. De acordo com a Barbieri, a falta de chuva destruiu as pastagens e os produtores já não estão conseguindo bancar os altos custos da ração à base de milho.

“Para se ter uma ideia, há um ano, a saca de milho era comercializada a R$ 35,00 e hoje está na casa dos R$ 55,00, o que praticamente inviabiliza a atividade. Estimamos que as perdas de produção já chegam até 40% do leite produzido em Santa Catarina”, ressalta Barbieri.

Diante deste quadro, o vice-presidente da Faesc alerta que os preços do leite ao consumidor poderão subir até 50% para readequação dos valores, conforme ocorreu com as carnes em dezembro do ano passado.

“Os produtores precisam urgentemente equilibrar seus ganhos aos custos de produção para a situação não se agravar ainda mais. Se isso não ocorrer, deveremos ter uma evasão ainda maior da atividade”, sublinha Barbieri ao destacar um dado preocupante do último Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE): cerca de 1.500 produtores de leite estão abandonando a atividade a cada ano no Estado. Atualmente, a cadeia produtiva reduziu-se a 33 mil produtores em Santa Catarina.

Apesar da preocupação no período, Santa Catarina mantém-se como quarto maior produtor nacional de leite, com 3,059 bilhões de litros ao ano.

Fonte: MB Comunicação.

FAESC apoia medidas da CNA para produtor superar crise

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc) endossa documento da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) encaminhado à ministra da Agricultura, Tereza Cristina, em caráter de urgência, solicitando um conjunto de propostas para que os produtores rurais possam superar os transtornos e os impactos causados pela pandemia do Coronavírus. Entre as prioridades está a prorrogação dos prazos dos financiamentos, sem que isso acarrete em mudanças na tributação ou em dificuldades de acesso ao crédito rural para a safra 2020/2021.

“A agricultura e a indústria de alimentos não podem parar, por isso é preciso amparar os produtores rurais, que seguem cumprindo o papel de setor essencial e indispensável, produzindo com qualidade e garantindo o abastecimento de alimentos no País e no mundo, mesmo diante da situação da calamidade pública”, ressalta o presidente da Faesc e vice-presidente de Finanças da CNA, José Zeferino Pedrozo.

A lista de medidas inclui a prorrogação dos vencimentos dos financiamentos de custeio e investimento para os produtores das cadeias mais atingidas pela crise. Isso porque eles estão com sérias dificuldades na comercialização dos produtos, em função das restrições de locomoção e do fechamento de diversos canais de distribuição. Essa situação impacta sobre a receita de curto prazo desses setores, o que impede que os compromissos assumidos sejam honrados no prazo acordado antes da pandemia. Além disso, em função da perecibilidade de muitos produtos, o produtor não consegue armazená-los para venda futura, o que também compromete o seu fluxo de receitas.

Por isso, a CNA solicita a prorrogação das parcelas de custeio por seis meses, sem incidência de juros e correção monetária, medida que já foi adotada para outros setores econômicos, com o objetivo de manutenção dos negócios e dos empregos. No caso de parcelas de financiamentos de investimento vencidas ou com vencimento em 2020, a entidade solicita a prorrogação para depois da última parcela do contrato.

No documento elaborado, a entidade também defende a flexibilização emergencial de alguns procedimentos necessários para a formalização das operações de crédito rural. Entre essas medidas, destaca-se a dispensa temporária da necessidade de registro dos contratos e aditivos em cartório, fechados em vários municípios do país, o que inviabiliza a formalização completa das operações e a liberação de recursos.

TARIFAS BANCÁRIAS

Outra medida sugerida pelo documento é a retirada de tarifas que são cobradas pelas instituições financeiras para estudo dos pedidos de alongamento e repactuação das operações de crédito, que, especialmente nesse momento, oneram o produtor rural significativamente. Para Pedrozo, essas tarifas estão na contramão das medidas emergenciais adotadas pelo Governo para minimizar os impactos da crise econômica.

A CNA também pleiteia que o produtor fique dispensado da entrega presencial de documentos comprobatórios da aplicação de crédito, como recibos de armazenagem dos produtos, Guia de Trânsito Animal (GTA), ficha sanitária do rebanho, entre outros documentos, em função do fechamento das agências ou de sua limitada capacidade de atendimento no momento.

Nesse sentido, a entidade sugere que as instituições financeiras façam maior uso das tecnologias disponíveis para contratação do crédito rural, na época em que acontece a maior parte das contratações de pré-custeio para a safra 2020/2021.

“Não dar suporte aos produtores significa parar a produção de alimentos no País, o que só agrava a situação”, alerta Pedrozo.

MP DO AGRO

Segundo a proposta da CNA, também há a necessidade de celeridade na sanção presidencial da MP 897/2019, a MP do Agro, que traz inovações importantes relacionadas às garantias nas operações de crédito, segurança jurídica e fomento aos financiamentos privados.

De acordo com o documento, duas medidas importantes contidas na MP darão fôlego aos produtores: o repasse de recursos de fundos constitucionais às cooperativas de crédito, independentemente de aprovação do cronograma de reembolso das operações pelos Conselhos Deliberativos Regionais.

TRIBUTAÇÃO

Quanto à questão tributária, as demandas da entidade são: prorrogação do prazo de entrega e pagamento do Imposto de Renda Pessoa Física para 30 de junho; prorrogação do prazo de entrega das obrigações acessórias para pessoas jurídicas por 90 dias e diferimento do pagamento, por seis meses, do Programa de Regularização Tributária Rural (PRR).

A CNA também solicita a suspensão por seis meses das inscrições de operações na Dívida Ativa da União, e adiamento para julho dos pagamentos de tributos federais (PIS/Cofins e IPI) com vencimento em abril, maio e junho, sem incidência de juros e multa e parcelamento em três vezes.

Fonte: MB Comunicação/Marcos Bedin.

Três pacientes positivos para coronavírus estão curados, em SC

Em meio a tantos problemas provocados pela disseminação do coronavírus no país, um alento foi anunciado aos criciumenses: quatro pessoas estão livres dos sintomas provocados pelo coronavírus, três delas tinham testado positivo para Covid-19 e uma ainda aguarda o resultado do exame junto ao Laboratório Central de Saúde Pública de Santa Catarina (Lacen).

A informação foi comunicada pela coordenadora do setor de análise epidemiológica do município de Criciúma, Cristiane Santos da Rosa, durante a já rotineira live nas redes sociais realizada pelo prefeito Clésio Salvaro.

“Hoje consideramos quatro casos recuperados. Três pacientes confirmados e mais um que não teve resultado do exame. De acordo com o protocolo, acompanhamos os pacientes durante 14 dias e apresentaram remissão dos sintomas. Podemos considerar quatro casos recuperados em Criciúma”, explica Cristine.

Neste momento, Criciúma conta com 137 casos notificados no município, que estão distribuídos em duas categorias: entre residentes e não residentes. Dos moradores da Capital do Carvão, são dez casos confirmados, 42 suspeitos e 51 descartados. Os quatro curados também fazem parte desta categoria.

Ainda dentro deste quadro de pessoas, há uma internação em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e três internações clínicas.

Entre os não residentes, mas que foram encaminhados para hospitais da cidade e tiveram o caso notificado pela Secretaria de Saúde de Criciúma estão três casos positivos de Covid-19, 11 suspeitos e 20 descartados. São duas internações em UTI e uma em clínica.  (Informações Engeplus)

Governador anuncia plano para volta gradual das atividades econômicas com regras para garantir segurança da população

O governador Carlos Moisés anunciou nesta quinta-feira, 26, a retomada parcial das atividades não essenciais em Santa Catarina a partir da próxima semana. Segundo o chefe do Executivo estadual, a ação faz parte do Plano Estratégico para a Retomada das Atividades Econômicas em Santa Catarina e será publicada em um decreto nesta sexta-feira, 27.

Carlos Moisés salientou que a orientação do Estado é que as pessoas permaneçam em casa. A abertura parcial de comércios e atividades não essenciais ocorrerá com um regramento, com o objetivo de preservar a saúde da população.

>> Confira o Plano Estratégico na íntegra aqui

“Precisamos promover a convivência dos catarinenses com a pandemia da Covid-19, conciliando as vertentes do convívio social, da preservação da vida das pessoas e da atividade econômica. Isso quer dizer que nós pesamos as duas coisas e estamos fazendo gradativamente um plano para que as pessoas possam voltar ao convívio de forma segura. Esse é o grande objetivo”, declarou o governador.

Durante a coletiva de imprensa, Carlos Moisés lembrou ainda que as aulas seguem suspensas em todas as redes de ensino até o dia 17 de abril, conforme determinação do decreto 525. O governador reforçou também que missas, cultos e reuniões de qualquer natureza, de caráter público ou privado, seguem suspensos.

>>>Tire suas dúvidas sobre as medidas restritivas e as ações de combate e prevenção à Covid-19

Veja o que abre e o que deve permanecer fechado
Agências bancárias, correspondentes bancários, lotéricas e cooperativas de crédito poderão abrir a partir de segunda-feira, 30, para atender exclusivamente pessoas que necessitem de serviços bancários presenciais.

A partir da quarta-feira, dia 1º, estarão liberados também:
- atividades e os serviços privados não essenciais, a exemplo de academias, shopping centers, bares, restaurantes e comércio em geral;
- atividades do setor hoteleiro;
- atividades de construção civil;
- escritórios de prestação de serviços em geral;
- centros de distribuição e depósitos.

Para funcionar, os estabelecimentos precisarão respeitar algumas regras:
1) Para estabelecimentos com permissão de atendimento ao público e entrada de pessoas:
a) limitação de entrada de pessoas em 50% (cinquenta por cento) da capacidade de público do estabelecimento, podendo este estabelecer regras mais restritivas;
b) controle de acesso e marcação de lugares reservados aos clientes, bem como o controle da área externa do estabelecimento, respeitadas as boas práticas e a distância mínima de 1,5 m entre cada pessoa.
2) priorização do afastamento, sem prejuízo de salários, de empregados pertencentes a grupo de risco, tais como pessoas com idade acima de 60 anos, hipertensos, diabéticos e gestantes;
3) priorização de trabalho remoto para os setores administrativos;
4) adoção de medidas internas, especialmente aquelas relacionadas à saúde no trabalho, necessárias para evitar a transmissão do coronavírus no ambiente de trabalho e no atendimento ao público;
5) utilização de veículos de fretamento para transporte de trabalhadores, ficando a ocupação de cada veículo limitada a 50% da capacidade de passageiros sentados;

Serviços autônomos liberados
Também serão liberados sem restrições, a partir de quarta-feira, 1º, os serviços autônomos, domésticos e os prestados por profissionais liberais.

Transporte coletivo segue suspenso
O governador Carlos Moisés anunciou ainda que os transportes coletivos permanecerão suspensos pelo prazo de mais sete dias, a contar da próxima quarta-feira, dia 1º. A determinação mantém suspensa a circulação de veículos de transporte urbano municipal e intermunicipal de passageiros, além da circulação e do ingresso no território catarinense dos veículos de transporte interestadual e internacional de passageiros, público ou privado. A decisão também vale para veículos de fretamento para o transporte de pessoas.

Acompanhe as notícias sobre o novo coronavírus
As notícias sobre as medidas para conter a propagação do novo coronavírus em Santa Catarina e os boletins atualizados com a situação do Estado podem ser acessadas no site sc.gov.br ou www.coronavirus.sc.gov.br. As atualizações podem ser acompanhadas ainda pelo Youtube, Instagram e Facebook do Governo do Estado.

Governo do Estado de SC.

Câmara aprova projeto que prevê R$ 600 por mês para trabalhador informal

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira (26) um projeto que prevê o pagamento de R$ 600 a trabalhadores informais por três meses em razão da pandemia do coronavírus. A mulher que for mãe e chefe de família poderá receber R$ 1,2 mil. A proposta do governo era de R$ 200 para os trabalhadores informais, o Congresso passou para R$ 600.

Com a aprovação, o texto seguirá para votação no Senado. Ainda não há data definida para a análise pelos senadores. O pagamento do auxílio emergencial é limitado a duas pessoas da mesma família.

Segundo estimativa preliminar da Instituição Fiscal Independente (IFI), ligada ao Senado, o impacto fiscal com o auxílio para a União será de R$ 43 bilhões por três meses. O cálculo não considera ainda as mães chefes de família que poderão receber o auxílio em dobro.

Pela proposta, poderá receber o montante o autônomo que não receber benefícios previdenciários, seguro desemprego nem participar de programas de transferência de renda do governo federal, com exceção do Bolsa Família.

Desde a semana passada, a Câmara e o Senado tem aprovado projetos relacionados ao combate do coronavírus e dos efeitos provocados pela crise.

Em razão das medidas de prevenção contra o coronavírus, a sessão desta quinta foi parcialmente virtual, com a presença de apenas alguns deputados no plenário. Os demais acompanhavam por videoconferência.


Entenda o projeto

O projeto altera uma lei de 1993 que trata da organização da assistência social no Brasil. De acordo com o texto, o dinheiro será concedido a título de “auxílio emergencial” por três meses ao trabalhador que cumprir os seguintes requisitos:

for maior de 18 anos;
não tiver emprego formal;
não for titular de benefício previdenciário ou assistencial, beneficiário do seguro-desemprego ou de programa de transferência de renda federal, ressalvado o bolsa-família;
cuja renda mensal per capita for de até meio salário mínimos ou a renda familiar mensal total for de até três salários mínimos;
que não tenha recebido em 2018 rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70.
Outros requisitos para receber o auxílio é:

exercer atividade na condição de Microempreendedor Individual (MEI) ou;
ser contribuinte individual do Regime Geral de Previdência Social ou;
ser trabalhador informal, de qualquer natureza, inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal até 20 de março de 2020.
Apesar de a previsão inicial de pagamento do auxílio ser por três meses, o relator da proposta, Marcelo Aro (PP-MG), disse que a validade do auxílio poderá ser prorrogada de acordo com a necessidade.

O projeto estabelece ainda que só duas pessoas da mesma família poderão acumular o auxílio emergencial.

Para quem recebe o Bolsa Família, o texto ainda permite que o beneficiário substitua temporariamente o programa pelo auxílio emergencial, se o último for mais vantajoso.

Inicialmente, o auxílio previsto no parecer do relator era de R$ 500, mas, após a articulação de um acordo com o governo federal, o valor passou a ser de R$ 600.

Pouco antes, em uma live realizada pelo Facebook, o presidente Bolsonaro havia dito que, após conversar com o ministro da Economia, Paulo Guedes, o governo defendia inicialmente que o auxílio fosse de R$ 200, "ele resolveu triplicar". "Deu o sinal verde", acrescentou Bolsonaro.


O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), elogiou a construção de um acordo entre Legislativo e Executivo, relação geralmente marcada por atritos. Maia ponderou que, mesmo com divergências, é preciso haver um ambiente de diálogo para buscar soluções para "salvar vidas e encontrar o melhor caminho para que a economia sofra menos".

BPC
O projeto de lei pretende ainda resolver um impasse em relação ao Benefício de Prestação Continuada (BPC), que é pago, no valor de um salário mínimo por mês, a idosos ou pessoas com deficiência de baixa renda.

O Congresso Nacional havia ampliado o limite de renda para ter direito ao pagamento do benefício, que valeria já para este ano. Com isso, mais pessoas passariam a ser beneficiadas, elevando as despesas públicas.

O presidente Jair Bolsonaro vetou o projeto alegando que não havia sido indicada fonte de receita, mas os parlamentares depois derrubaram esse veto.

O governo federal, então, recorreu ao Tribunal de Contas da União (TCU) para que a ampliação do limite valesse apenas a partir do ano que vem.

O ministro do TCU Bruno Dantas atendeu o pedido do governo, mas, no último dia 18, voltou atrás e suspendeu a sua decisão por 15 dias.

O projeto aprovado nesta quinta pela Câmara tenta resolver esse imbróglio. O texto define a partir de quando as novas regras passarão a valer. A proposta, porém, cria exceções diante da crise do novo coronavírus.

Pelo projeto, terão direito ao benefício pessoas com mais de 65 anos ou com deficiência que tenham renda familiar per capita:

igual ou inferior a um quarto do salário-mínimo, até 31 de dezembro de 2020;
igual ou inferior a meio salário-mínimo, a partir de 1° de janeiro de 2021.
No entanto, diante da pandemia do coronavírus, o projeto abre brecha para ampliar o critério da concessão de benefício ainda neste ano.


O benefício poderá ser concedido para quem recebe até meio salário mínimo per capita, em escala gradual a ser definida em regulamento, de acordo com uma série de fatores agravados pela pandemia, como comprometimento socioeconômico familiar.

Antecipação
O projeto também prevê a antecipação do pagamento do auxílio para quem ainda está na fila do BPC para pessoa com deficiência e do auxílio-doença. No caso do BPC, o projeto prevê pagamento de R$ 600. Para o auxílio-doença, o valor é de um salário mínimo.

Metas
A Câmara votou ainda um projeto de lei que suspende por 120 dias, a contar do dia 1º deste mês, a obrigatoriedade de manter as metas quantitativas e qualitativas exigidas de entidades de saúde que prestam serviço no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). O texto vai ao Senado.

Autor do projeto, o deputado Pedro Westphalen (PP-RS) argumenta que, devido à pandemia de coronavírus no país, os hospitais tiveram que redirecionar sua atuação.

Ele pondera que cirurgias marcadas, por exemplo, têm sido canceladas para priorizar o atendimento aos pacientes com Covid. E, por essa razão, os prestadores não têm mais condições de cumprir as metas nesse período.

Como o repasse de recursos é condicionado ao cumprimento das metas, o objetivo do projeto é garantir que as entidades continuem recebendo a verba.

Atestado
A Câmara também aprovou projeto de lei apresentado pelo deputado Alexandre Padilha (PT-SP) que dispensa o trabalhador que estiver doente de apresentar atestado pelo prazo de sete dias, em situação de emergência de saúde, pandemia ou epidemia quando houver imposição de quarentena.

A partir do oitavo dia, no entanto, o empregado precisará apresentar documento de uma unidade de saúde ou um atestado eletrônico, regulamentado pelo Ministério da Saúde, que comprove seu estado de saúde.

FONTE: G1.

quinta-feira, 26 de março de 2020

Casos confirmados de coronavírus em SC chegam a 149; outros 325 são investigados

O número de casos confirmados do novo coronavírus em Santa Catarina foi atualizado no final da tarde desta quinta-feira (26) pelo governo de Santa Catarina. São 149 pacientes positivados para o Covid-19 em todo o estado e 325 pessoas em investigação, além de uma morte ocorrida no final da noite da quarta-feira (25), de um homem de 86 anos. O óbito que estava em investigação em Xanxerê resultou negativo, informou o Estado.

Entraram para a lista de municípios com confirmação da doença outros três municípios: Itapema Siderópolis e Timbé do Sul. Laguna, no entanto, deixou de aparecer na lista, já que a pessoa diagnosticada no município é moradora de outra cidade.

Cidades com casos confirmados de coronavírus

Além das notificações positivadas nos municípios catarinenses, foram confirmados no Estado cinco pacientes que residem em outros estados e três que moram em outros países, mas estavam em Santa Catarina quando receberam o diagnóstico.

Total de 149 casos confrimados

Balneário Arroido o Silva - 1
Balneário Camboriú - 8
Blumenau - 12
Braço do Norte - 9
Camboriú - 4
Canelinha - 1
Chapecó - 4
Criciúma 12
Florianópolis - 20
Gaspar -1
Gravatal -3
Içara -1
Imbituba -5
Itajaí -16
Itapema - 1
Jaguaruna - 2
Jaraguá do Sul - 2
Joinville - 7
Lages - 1
Navegantes - 3
Pomerdore -1
Porto Belo - 3
Rancho Queimado - 2
São José - 8
São Ludgero - 1
São Pedro de Alcântara - 1
Siderópolis - 2
Tijucas - 1
Timbé do Sul  -1
Tubarão - 8

Fonte:NSC.

Brasil tem 77 mortes e 2.915 casos confirmados de novo coronavírus, diz Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde divulgou nesta quinta-feira (26) o novo balanço de casos confirmados de novo coronavírus (Sars-Cov-2) no Brasil. Os principais dados são:

77 mortes, eram 57 na quarta
2.915 casos confirmados, eram 2.433
1.665 casos no Sudeste
2,7 % é a taxa de letalidade

O Ministério da Saúde chegou a divulgar que o total de mortes era de 78, mas o número foi corrigido pelo governo porque a tabela considerava uma morte a mais no Distrito Federal.

100 mil casos em 2 dias no mundo

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou nesta quinta-feira (26) que, nos últimos dois dias, o mundo registrou mais 100 mil novos casos de coronavírus. Ao todo, já são mais de meio milhão de pessoas infectadas.

Na segunda-feira (23), a OMS apresentou um balanço dos casos a cada marca de 100 mil para alertar como a pandemia está se acelerando nesta semana: os primeiros 100 mil casos de Covid-19 foram registrados em 67 dias - mas foram necessários apenas mais 11 dias para dobrar e atingir 200 mil casos e outros quatro dias para chegar a 300 mil casos. Agora, a pandemia levou dois dias para somar mais 100 mil novos casos ao balanço.

""A pandemia da Covid-19 está se acelerando a uma taxa exponencial", publicou nas redes sociais o diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus. "Sem ação agressiva em todos os países, milhões poderão morrer", completou.


Fonte:G1.

Bancos e lotéricas voltam a funcionar na segunda-feira em SC


O governador Carlos Moisés irá anunciar nesta quinta-feira, às 18 horas, que as agências bancárias e as lotéricas voltarão a funcionar a partir da próxima segunda-feira (30) em Santa Catarina após paralisação para conter o coronavírus. A informação faz parte do Plano Estratégico de Retomada das Atividades Econômicas em SC, que também será detalhado. 

A liberação das atividades será por setor, de maneira escalonada e com regras sanitárias de segurança, como separação entre as pessoas e limites de ocupação dos espaços. 

Na quarta-feira (25), cerca de 50 entidades empresariais lançaram o Movimento Reage SC que pede a retomada da atividade econômica com medidas preventivas.

Fonte: NSC.

Nova MP deve permitir suspensão de salário, mas pagando seguro-desemprego

O secretário especial da Previdência e Trabalho, Bruno Bianco, afirmou hoje que o governo vai editar uma nova Medida Provisória permitindo que as empresas suspendam os contratos e os salários dos funcionários em meio à crise do coronavírus. 

Desta vez, porém, a MP também preverá que o trabalhador afetado receba recursos do seguro-desemprego. De acordo com Bianco, a MP já está no Palácio do Planalto para apreciação do presidente Jair Bolsonaro.O secretário não informou valores ou prazos para a medida.

Na noite de domingo (22), Bolsonaro publicou uma MP permitindo que as empresas suspendessem os contratos e os salários dos funcionários por até quatro meses. A medida não previa nenhum pagamento do governo ao trabalhador. A MP teve forte repercussão negativa, e o presidente revogou, na segunda-feira, o trecho que previa a suspensão dos salários. Depois, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que havia um erro de redação no texto.

nova MP que será publicada também preverá, segundo Bianco, redução salarial por faixa de renda. Também neste caso, o trabalhador receberia algum auxílio na forma do seguro-desemprego.

"Se criarmos um ambiente de demissão em massa, já gastaremos com o seguro desemprego, e esse gasto não vai ser inteligente, porque gastaremos e não manteremos emprego", disse Bianco, durante videoconferência com analistas da corretora XP Investimentos, na manhã desta quinta-feira (26). Segundo o secretário, a lógica estudada, chancelada por Guedes e que está em fase de validação pelo presidente cria faixas salarial. Em todas elas, uma porcentagem do salário seria paga pelo governo, garantindo um salário mínimo. "O objetivo é fomentar as empresas para que não parem 100%, não tenham que demitir", disse.

Assim como estava no texto da MP anterior, o ajuste salarial viria de um acordo entre empregado, empregador e governo. "Todos dando sua parcela de contribuição", afirmou Bianco. Pego de surpresa O secretário disse ainda que a MP 927, publicada no domingo, foi elogiada em diversos países do mundo e que a estimativa é que com ela já tenham sido protegidos diversos empregos. "Ganhamos de sete a oito semanas sem demissões, regulamentando o banco de horas, as férias coletivas, as férias individuais, a antecipação de feriados", disse.

Bianco admitiu que o ministério da Economia foi pego de surpresa com a pandemia, mas salientou que o governo está fazendo o que pode para criar um ambiente propício para evitar demissões. "Não demitam, confiem no governo. O governo tem criado soluções", apelou para os analistas da XP.

Fonte: UOL.

Procon de Joaçaba encaminha notificação aos postos de combustíveis para que repassem as reduções anunciadas pela petrobras.

Considerando as sucessivas reduções no preço dos combustíveis anunciadas pela Petrobras desde o início do ano e considerando o não repasse pelos Postos do no Município de Joaçaba, no final da tarde de quarta-feira 25 e no início da manhã desta quinta-feira 26, o Procon de Joaçaba, considerando Orientação e Recomendação Da Secretária De Estado e Desenvolvimento Econômico Sustentável e PROCON SC, encaminhou notificação para os postos de combustíveis de Joaçaba com os objetivos de:

• Orientar que os mesmos repassem as reduções anunciadas pela Petrobras;

• Solicitar justificativa explicando o porque do não repasse destas reduções;

• Solicitar notas de compras e vendas dos combustíveis do final do ano de 2019 e 1ª quinzena do mês de Março de 2020;

"Com essas informações se constatarmos que o preço praticado for abusivo estaremos aplicando as sanções cabíveis. Qualquer dúvida estamos a disposição no Telfefone/whats 9 9912-4105, no e-mail proconjba@gmail.com ou na Página no Facebook" afirmou gerente do Procon de Joaçaba, Julio de Souza.

Fonte: Éder Luiz.

Joaçaba já descartou 9 casos de CORONAVÍRUS. Outras 11 pessoas estão sendo monitoradas


O município de Joaçaba já descartou 9 casos suspeitos de CORONAVÍRUS através de exames que foram feitos no Laboratório Central (LACEN) em Florianópolis.  A informação em tom de otimismo foi confirmada pelo prefeito Deoclésio Ragnini na manhã desta quinta-feira (26). De acordo com ele todos os exames do LACEN até o momento deram negativo para a COVID-19. Outras 11 pessoas continuam sendo monitoradas em casa. Ninguém, de Joaçaba, está internado no Hospital. Os números positivos até o momento, de acordo com o prefeito, se devem as medidas tomadas, como o isolamento social e outras. A orientação é para que as pessoas permanecem em seus lares até a próxima quarta-feira.

Fonte: Rádio Catarinense.

Secretaria de agricultura de Erval Velho encerra hoje corte da silagem e vai atender através do plantão

A Secretaria de Agricultura de Erval Velho não paralisou os trabalhos durante a quarentena e continuou dando apoio para os agricultores do município.

De acordo com o Diretor Gelson Dalmédico,  na tarde desta quinta-feira, dia 26, possivelmente encerra-se o corte da silagem em todas as propriedades que solicitaram máquinas da secretaria e após, os trabalhos serão interrompidos até quarta-feira (01). No entanto, qualquer urgência, especialmente na questão de água, os serviços serão realizados através do plantão.

O plantio de pastagens vai atrasar um pouco em consequência da paralisação dos trabalhos e pela falta de chuvas, onde muitos agricultores estão aguardando o tempo melhorar para realizarem os plantios.

Telefones do plantão: 

Cezar Bulla: 99971-1568
Gelson Dalmédico: 99937-0130.


Por: Yuri Ferrari.

Polícia Civil apreende 300 Kg de cocaína, arma e faz prisões em Campos Novos e Barra Velha

Mais de 300 quilos de cocaína apreendidos, além de dois fuzis e munição e prisões efetuadas. Este é o resultado de uma ação da Polícia Civil desencadeada em Barra Velha, nesta quarta-feira (25). A apreensão surgiu após uma prisão por policiais civis de Campos Novos que faziam barreira de fiscalização das medidas do decreto contra o coronavírus. A ação conjunta também envolveu a PM de Penha.

Segundo o delegado Procópio Batista, da DP de Barra Velha, a carga com cerca de 320 quilos de cocaína foi apreendida em uma casa no bairro Itajuba, em Barra Velha, onde também foram encontrados dois fuzis 762, uma escopeta e munição. Um homem foi preso e dois veículos apreendidos.

As diligências estão sendo realizadas de forma ininterrupta desde quarta-feira e ainda estavam em andamento na manhã desta quinta-feira (26).

“Estávamos em barreira sanitária em Campos Novos com a PM e houve um chamado que estaria ocorrendo um assalto. Fomos ao local e obtivemos informações. Um dos homens nos disse que estaria sequestrado e que seria liberado a partir de pagamento de droga. Então acionamos policiais civis do litoral e houve essa grande apreensão”, afirma o delegado Adriano Almeida. Em Campos Novos, um homem foi autuado em flagrante por sequestro.


Fonte: Michel Teixeira.

Em Ipira três pessoas são monitoradas com sintomas de Coronavírus e Piratuba tem mais um caso suspeito

O Secretário Municipal de Ipira, Marcelo Minks, confirmou na tarde desta quarta-feita (25), que três moradores do município estão sendo monitorados porque apresentaram sintomas de coronavírus. Porém, ele informou que não foram coletados exames porque os sintomas ainda são leves.

Minks afirmou que as equipes da saúde estão visitado os pacientes diariamente, bem como os familiares dos mesmos. Conforme foi apurado, uma dessas pessoas retornou de viagem recentemente.

Piratuba:

Já o Secretário Municipal de Saúde em Piratuba Vanderlei Weber confirmou mais um caso suspeito da Covid-19 subindo para três registros. Ele disse que os sintomas e prontuários médicos apontam para coronavírus. Além desses, Weber ainda comentou que outras duas famílias estão sendo monitoradas. 

Como forma de agilizar os resultados de casos suspeitos, o secretário também anunciou a compra de 50 kits de testes rápidos, com previsão de entrega para a segunda semana do mês de abril.

Outra medida adotada nesta quarta-feira pela Administração Municipal de Piratuba foi a desinfecção de ruas. A mesma empresa que realizou o trabalho em Concórdia aplicou o produto na Unidade Básica de Saúde.



Informações Ricardo Santuari/Atual FM

Santa Catarina tem primeira morte confirmada por coronavírus


Santa Catarina registrou na noite desta quarta-feira (25) a primeira morte confirmada provocada pela Covid-19. A informação foi postada pelo governador Carlos Moisés da Silva no Twitter às 23h59min:

''Notícia triste: hoje perdemos o primeiro catarinense para o coronavírus. Paciente masculino, de 86 anos, faleceu em São José. Deus nos abençoe e proteja e console a família'', escreveu Moisés.

Conforme dados divulgados mais cedo pelo próprio governador, Santa Catarina já registra 122 casos de coronavírus, um aumento de 12% em relação aos 109 de terça-feira (24), dos quais seis são pacientes que estavam internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). 

Outras duas mortes estão em investigação, nas regiões Sul e Oeste. Ambos os casos são de pessoas que apresentavam sintomas, mas não haviam notificado a vigilância epidemiológica dos municípios.

Já o número de casos suspeitos, que ainda esperam a confirmação por exames, caiu para 325, contra 336 no dia anterior. 

Entre os pacientes, 53% dos casos positivados para Covid-19 são mulheres. 

Há pacientes confirmados em 28 municípios de SC. 

Segundo o secretário de Saúde, Helton Zeferino, houve mudança na contagem de casos confirmados por cidade, motivo pelo qual ocorreram alterações nos números confirmados com o novo coronavírus em municípios como Florianópolis:

- Levamos em consideração, agora, o endereço da pessoa, mesmo que tenha notificado em outra cidade, onde não reside - argumentou.


Casos por município:
Arroio do Silva - 1

Balneário Camboriú -7

Blumenau - 9

Braço do Norte - 9

Camboriú - 2

Canelinha - 1

Chapecó - 2

Criciúma - 11

Florianópolis - 16 (-4) casos realocados, porque não residem na Capital

Gaspar - 1

Gravatal - 3

Içara - 1

Imbituba - 4

Itajaí - 12

Jaguaruna - 2

Jaraguá do Sul - 2

Joinville - 5

Lages - 1

Laguna - 1

Navegantes - 3

Pomerode -1

Porto Belo - 2

Rancho Queimado - 2

São Jose - 5

Sao Ludgero -1

São Pedro de Alcântara - 1

Tijucas -1

Tubarão - 8

Fonte: NSC.

quarta-feira, 25 de março de 2020

Brasil tem 57 mortes e 2433 casos confirmados de Covid-19, diz Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde divulgou na tarde desta quarta-feira (25) seu mais recente balanço dos casos de coronavírus Sars-Cov-2, vírus responsável pela doença Covid-19. Os principais dados são:

57 mortes
2.433 casos confirmados
2,4% é a taxa de letalidade
Na terça-feira (25), o balanço apontou 46 mortes e 2.201 casos confirmados.

O ministro Luiz Henrique Mandetta avalia que o aumento dos casos está ocorrendo de forma "aproximadamente igual nos últimos dias".

Estados mantêm medidas

Nesta quarta-feira, governadores afirmaram que vão manter medidas de restrição de circulação e isolamento social mesmo após o presidente Jair Bolsonaro pedir o fim das medidas. Entidades de médicos, de outros profissionais de saúde e de cientistas condenaram o pronunciamento de Bolsonaro.


Fonte:G1.

Grupo de Erval Velho faz sabão para doar para as famílias carentes do município

Tendo em vista a pandemia do Coronavírus, um grupo de pessoas do município de Erval Velho iniciou na última segunda-feira, dia 23, a produção de sabão para distribuir para as famílias carentes.

Aproximadamente 20 pessoas trabalharam na produção, alguns doaram dinheiro, outros os produtos essenciais como álcool, soda, cebo (gordura animal) e óleo de cozinha.

Todos os integrantes da ação solidária usaram máscaras, luvas e outros atos de higiene para a distribuição do sabão.

Serão beneficiadas somente as famílias mais carentes do município que no momento estão com dificuldades de realizarem suas compras em mercados e adquirirem produtos de limpeza e higiene.

Um responsável de cada família pode receber o sabão na Secretaria de Saúde ou na Assistência Social.

PARABÉNS PARA TODAS AS PESSOAS ENVOLVIDAS NESTA CAMPANHA DE SOLIDARIEDADE! 












Por: Yuri Ferrari.

Servidores de Erval Velho terão reajuste salarial de 7,38%

Foi publicada no Diário Oficial dos Municípios a Lei nº 1521, aprovada pelos vereadores que concede aumento aos servidores ativos, inativos e pensionistas do município de Erva Velho. 

O percentual de recomposição foi de 5,38%, o que corresponde à média aritmética da inflação registrada pelos índices do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) e IGP-M/ FGV (Índice Geral de Preços de Mercado), durante o período de março de 2019 até fevereiro de 2020.

Ainda será concedido o aumento de 2% de ganho real totalizando o reajuste de 7,38%, exceto aos agentes políticos que somente receberão o valor  correspondente à inflação.

Segundo o prefeito Walter Kleber Kucher Junior,  o índice deverá ser aplicado sobre a remuneração dos servidores do mês deste mês de março.

Fonte: Rádio Cultura.


Exame descarta morte de jovem por coronavírus em Fraiburgo

Exame descarta morte de jovem por coronavírus em Fraiburgo
O Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública) descartou que a jovem de Fraiburgo tenha morrido de coronavírus. O resultado foi divulgado na manhã desta quarta-feira (25) pela Secretaria de Saúde do município. Aline Ribeiro, 18 anos, deu entrada no hospital municipal com insuficiência respiratória. Ela foi transferida para o Hospital Maicé de Caçador, mas foi a óbito ao dar entrada na unidade.

Conforme nota conjunta da Secretaria de Saúde e Hospital de Fraiburgo, Aline foi diagnosticada com um quadro de septicemia por pneumonia Bacteriana. A análise da amostra para H1N1, ainda não foi disponibilizada pelo Lacen.

NOTA OFICIAL

“No dia 23 de março de 2020, deu entrada no Hospital Fraiburgo uma paciente com insuficiência respiratória grave. Conforme orientação da Agência Regional de Saúde de Videira, foi realizada a coleta de amostra para testagem do vírus H1N1 e do COVID-19, cuja amostra foi encaminhada para análise pelo LACEN - Laboratório Central de Saúde Pública, em Florianópolis.

Devido ao quadro grave a paciente foi transferida pela Unidade de Suporte Avançado do SAMU para o Hospital Maicé, após o devido atendimento do quadro emergencial e estabilização no Hospital Fraiburgo, vindo a óbito no mesmo dia.”

Na data de hoje, 25 de março de 2020 o LACEN disponibilizou o resultado da análise da amostra da paciente sendo o seguinte: Amostra Não Detectável para Coronavírus.

Portanto, o caso suspeito de coronavírus do Município de Fraiburgo foi DESCARTADO.

Ainda, esclarecendo o caso da paciente, como já era a suspeita diagnóstica, baseado nos exames realizados no Hospital Fraiburgo trata-se de um quadro de Septicemia por Pneumonia Bacteriana.

Informamos ainda que com referência a análise da amostra para H1N1, o LACEN ainda não disponibilizou o resultado.

Fonte: Caco da Rosa.

Coronavírus: 8 pessoas já estão curadas em Porto Alegre

Em meio ao avanço do coronavírus em todo o rio Grande do Sul, que já tem 146 casos da doença, uma notícia de esperança: oito pessoas de Porto Alegre que contraíram a Covid-19 já estão curadas.

Os pacientes eram sete homens com idades entre 18 e 68 anos e uma mulher de 35 anos. A informação foi divulgada pelo próprio prefeito da cidade, Nelson Marchezan Júnior (PSDB), em sua conta no Twitter. “Ainda assim é importante que as pessoas permaneçam em casa, saindo apenas para atividades essenciais”, alertou Marchezan.

Os pacientes permaneceram em isolamento familiar e tiveram cura natural; afinal, ainda não há vacina ou remédio produzido capaz de curar a Covid-19. Esses oito pacientes foram testados novamente após esse período do quarentena e o resultado, dessa vez, deu negativo para o coronavírus. “O isolamento domiciliar ainda é a melhor forma de prevenção”, recomendou a Secretaria Municipal de Saúde, também via Twitter.

A notícia dos primeiros pacientes curados no Estado foi divulgada apenas 10 horas após a confirmação da primeira morte em decorrência do coronavírus. Um mulher de 91 anos, também de Porto alegre, faleceu no início da madrugada desta quarta-feira (25). ela estava internada na UTI.
Na terça-feira (24), o número de mortes por causa da Covid-19 no Brasil subiu para 46 nesta terça-feira (24), segundo o Ministério da Saúde. Foi o maior salto em um único dia, com 12 vítimas da doença. O primeiro óbito foi registrado no dia 17 deste mês.

O país já soma, desde o início da crise do coronavírus, 2.201 confirmações da nova doença. Até segunda-feira (22), eram 1.891 casos registrados no Brasil. 

Jornal do Comércio.

PMSC reforça medidas para ajudar a conter novo coronavírus

A Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC) reforçou as medidas de conscientização para que o comércio e as atividades não essenciais não abram e as pessoas não façam atividades externas desnecessárias. A medida vai ao encontro do decreto 515/2020 do governo do Estado que limita a integração social com o objetivo de conter a proliferação do novo coronavírus.

Além de conversar com quem estiver descumprindo a determinação governamental - a estratégia é baseada na conciliação mas pode terminar com interdição ou lavratura de termo circunstanciado (TC) no caso de desobediência -, uma operação do 21º Batalhão, responsável pelo patrulhamento no Norte da Ilha, foi deflagrada para impedir que as pessoas vão às praias.

O comandante-geral da corporação coronel Carlos Alberto de Araújo Gomes Júnior  reforçou o alerta para que as pessoas fiquem em casa.

Fonte: NSC.